Publicidade

Maranhão investe em parto humanizado

  • em


A Maternidade Nossa Senhora da Penha, na capital maranhense, registrou aumento de partos normais em comparação ao número de cesarianas. Foram 92 partos normais apenas no mês de maio. Um dado que comprova o acolhimento e assistência humanizada realizada pela equipe da unidade, que faz parte da rede estadual de saúde e tem recebido investimentos do Governo do Estado para qualificar cada vez mais o atendimento.

Alessandra Passos, coordenadora de enfermagem da maternidade, explica que o aumento de partos normais está diretamente relacionado com as práticas de cuidado e humanização que valorizam as melhores escolhas para saúde da gestante e do bebê. “O parto normal é uma prática que fortalece a autonomia da gestante na condução dessa experiência humana. O acréscimo desse indicador nos mostra que as gestantes quando se sentem respeitadas em seus direitos e vontades adquirem mais segurança para ter o parto natural”, disse a enfermeira.

As mulheres são maioria na equipe profissional da unidade de saúde. Os partos vaginais são conduzidos por enfermeiras-obstetras em 95% dos procedimentos, sem interferência do médico. Alessandra esclarece que todo procedimento da assistência privilegia o conceito do parto adequado e que a decisão do parto normal não é uma imposição.

“O curso de um trabalho de parto é muito específico para cada gestante. Nosso trabalho privilegia o parto mais adequado para a mulher. Tudo começa na classificação de risco para verificar se ela é uma paciente que deve ser internada em nossa unidade de saúde ou se é um caso mais grave. Fazemos aferição de pressão arterial, ausculta do batimento cardíaco fetal, as contrações pertinentes, avaliação do tempo e intervalo dessas contrações e consulta com enfermeira-obstetra. Com esses parâmetros, nós avaliamos o estímulo ao parto vaginal e, caso haja indicativo de sofrimento fetal, o obstetra avalia a cesariana”, destacou Alessandra Passos.

Foi assim com Aline Fabrícia Costa Luso, 17 anos, que foi atendida na última semana pela unidade de saúde. A irmã da estudante também teve o parto realizado na maternidade, no ano passado, e recomendou o serviço. “Cheguei na madrugada com 8 cm de dilatação e fui bem atendida, o parto foi rápido. Foram duas horas de trabalho de parto, mas tive toda assistência, minha irmã foi acompanhante e me ajudou com massagens, banho com água morna e outros cuidados”, falou Aline.

Zoe Costa Luso Pinheiro, filha de Aline, nasceu com 9 meses completos, pesando 3,640 kg e estatura de 47,5 cm, e vai sair da maternidade com registro de nascimento e uma pintura da placenta feita pela equipe assistencial. “É muito gratificante ter esse retorno de mulheres que já tiveram amigas, parentes, conhecidos que fizeram o parto aqui e recomendaram a maternidade. É uma forma também de confiança e fraternidade”, finalizou Alessandra Passos.

De janeiro a maio deste ano, a unidade de saúde realizou total de 662 partos. Somente no mês de maio, foram 163 partos. Destes, 92 foram normais e 41 cesarianas. Foi o maior índice de partos normais neste ano, em comparação com meses anteriores.

A Maternidade Nossa Senhora da Penha, gerenciada pelo Instituto Acqua, é referência em urgência e emergência obstétrica na capital maranhense e conta com equipe multiprofissional, internação em obstetrícia clínica e cirurgia geral.

 

  • Compartilhe