Publicidade

Em vídeo, general Santos Cruz culpa Bolsonaro pela tragédia da Covid-19 no Brasil

  • em



“Coloco, acima de tudo, a falta de liderança de não saber conduzir o processo e a permanente sabotagem e tentativa de desmoralização de todas as medidas tomadas”, declara. Ele convoca a todos a se unir para não ser arrastada pela política de governo

 

“Sempre tem um responsável por algumas coisas. O responsável é o presidente. Aquele que é eleito tem de saber que ele é o responsável. E ele tem de dizer para a população: ‘Eu sou o responsável. Houve erro? Houve erro. Eu sou o responsável por causa disso, disso e disso”. Essa é a opinião do general Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo de Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a atuação do Presidente da República na não gestão da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

 

O ex-ministro afirma que a pandemia que é, absolutamente, mal coordenada, mal liderada, sem liderança nenhuma desde o início. “Disseram que o STF [Supremo Tribunal Federal] não deixava trabalhar, e aí o responsável era o prefeito, o governador. Daí veio a politização do medicamento, não conseguiram discutir tecnicamente os assuntos, uma política de saúde pública sem qualquer apoio racional do Presidente”, disse.

 

Durante o vídeo, o general Santos Cruz afirma, várias vezes, que o governo não assumiu a liderança. “Mas eu coloco, acima de tudo, a falta de liderança de não saber conduzir o processo e a permanente sabotagem e tentativa de desmoralização de todas as medidas tomadas”, declara. “Até onde vai a responsabilidade de Pazuello por esse desastre que é a administração da pandemia? Porque você tem uma autoridade que todo dia tenta desmoralizar a vacina”, disse.

 

Para ele, “não tem problema Bolsonaro aproveitar alguns militares em seu governo. Não tem problema nenhum. Você tem algumas pessoas que têm capacidade para auxiliar em um plano de governo, mas você não pode deformar a representação social nos diversos escalões. A percepção da população é a de que as Forças Armadas estão comprometidas com a prática de governo. E uma prática de governo que não tem nada de admirável. Uma prática de governo que tem crise todo dia – não é nem crise, que tem show todo dia”, critica o general.

 

E continua: “Então não é bom você confundir isso aí com Forças Armadas. Não tem nada de mais o Presidente trocar o presidente da Petrobras. O problema não é trocar, nem por quem trocar. O problema é o show. Se você faz uma troca e você mostra a nova estratégia. Não, mas aí você troca, tem esse show todo. No outro dia, a milícia toda se mobiliza para dizer que o ex-presidente é um crápula, que não trabalha, que ganha muito, que não seio o quê. Mas você não diz se a nova estratégia vai ser baixar o salário”.

 

Ele convoca a população brasileira a se unir para não ser arrastada pela política de governo. “Mais do que nunca precisa se unir para não deixar ser arrastado pela política de governo. Não pode deixar. Isso aí é proposital. O governo tem tentado arrasta. Tem algumas vivandeiras aí que ficam empurrando as Forças Armadas para serem arrastadas pela correnteza da política, e o pessoal não pode deixar e não vai deixar”, assegura.

 

Santos Cruz diz que ele vê “que as Forças Armadas estão perdendo com isso”. Assista ao vídeo completo:

 

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *