Água Potável e Saneamento Assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento para todos – Objetivo 6 dos ODS e a TS Água Viva

 

Entre as metas contidas no Objetivo 6 do ODS (http://www.agenda2030.com.br/ods/6/) é possível identificar elementos que encontram aderência com a TS apresentada e entre eles podemos citar: melhoria na gestão da água e do saneamento, eficiência no uso da água e tratamento de efluentes, o que a deixa caracterizada efetivamente como uma tecnologia de reuso de água de forma mais segura.

Esta TS oferece uma contribuição importante para a proteção e restauração dos ecossistemas relacionados com a água, incluindo rios, aquíferos e lagos.

A TS – Água Viva foi concebida pelas mulheres do Assentamento Monte Alegre I, vinculadas ao Centro Feminista 8 de Março e contou com a contribuição técnica dos professores e estudantes do Departamento de Ciências Ambientais e Tecnológicas da Universidade Rural do Semiárido (UFERSA).

O projeto consiste em um processo de filtragem da água utilizada nas atividades domésticas como lavagem de louça, de roupa e dos banhos, permitindo o seu reaproveitamento na irrigação de árvores frutíferas e hortaliças agroecológicas e com isto ainda evitar que a água fique empoçada nos quintais das casas, podendo causar doenças.

É possível identificar na concepção e aplicação desta TS uma complementariedade entre a experiência e o saber popular das mulheres agricultoras, com a utilização de matérias primas da região e o conhecimento científico oferecido pela academia na montagem dos filtros, na análise da água e no monitoramento da produção dos canteiros.

O sistema Água Viva proporcionou uma mudança significativa na vida, produção, auto-organização e na autonomia das mulheres que constroem alternativas de convivência com o semiárido, ao possibilitar, através do seu trabalho, segurança e soberania alimentar de suas casas e também na renda auferida com a comercialização dos produtos nas feiras municipais, mesmo em períodos de forte estiagem.

Detalhes sobre a implantação e funcionamento do projeto podem ser acompanhados pelos seguintes endereços eletrônicos:

https://transforma.fbb.org.br/tecnologia-social/agua-viva-mulheres-e-o-redesenho-da-vida-no-semiarido-do-rio-grande-norte

https://drive.google.com/file/d/19ZXjwSBoLlEBFVJaI43H8ttb2S7I0upw/view

A reaplicação desta TS pode contar com o apoio de associações em assentamentos, poder público municipal, instituições de ensino superior e investidores sociais privados.

 

(*) Jefferson Oliveira – Economista