Os atos Fora Bolsonaro deste sábado, 24 de julho, tomaram as ruas do Rio Grande do Sul. Foram 80 mil pessoas em Porto Alegre e 20 mil, somando os atos realizados em cidades gaúchas. Na capital, participaram representantes de movimentos sociais, trabalhadores, estudantes e de partidos políticos, lotaram o Largo Glênio Peres no Centro Histórico e depois seguiram em caminhada por ruas próximas pela Avenida João Pessoa até o bairro Cidade Baixa e na orla do Guaíba.

 

 

Os protestos foram registrados com muita irreverência para pedir o impeachment de Bolsonaro, que a vacinação contra Covid-19 seja acelerada, e Auxílio Emergencial no valor de R$ 600, 00. Muitos atos foram realizados pela manhã em Novo Hamburgo, Gravataí, Camaquã, Rio Grande, Caxias do Sul, e Santana do Livramento, no Parque Binacional, na fronteira entre o Brasil e o Uruguai.

 

Os atos organizados pela Frente Brasil Popular e Povo sem Medo, recomendaram que as pessoas usassem máscaras, e respeitassem o distanciamento social. E o que se viu foram cuidados redobrados com os protocolos. “Estamos nas ruas para pedir o fora Bolsonaro e o seu governo, porque são estes os grandes responsáveis, porque são milhares e milhares de vidas perdidas sem necessidade, pelo negacionismo, pela falta de vacina, pela irresponsabilidade de Bolsonaro e seu governo”, destacou o deputado Edegar Pretto (PT). A deputada estadual Sofia Cavedon (PT), transmitiu a manifestação em seu Facebook e ressaltou que ninguém aguenta mais este governo e sua política de morte, diante da pandemia. “Nas ruas junto com o povo em defesa da vida com respeito, solidariedade e esperança é que juntos vamos reconstruir o país. Nossa luta é até o Bolsonaro cair”, ressaltou o deputado federal Paulo Pimenta (PT) no caminhão de som.

 

 

 

 

Vídeo e fotos: Patrícia Duarte