Imagens mostram Renato algemado, no chão, sendo arrastado por policiais e colocado no porta-malas da viatura. É a segunda vez que o vereador é preso em dois meses

 

 

O vereador do PT de Curitiba Renato Freitas foi preso pela Guarda Civil Municipal da capital na noite desta sexta-feira (23). Ele foi detido na praça Rui Barbosa e levado para a Central de Flagrantes, no bairro Portão, segundo informações postadas por ele nas redes sociais.

 

 

As imagens mostram Renato algemado, no chão, sendo arrastado por policiais e colocado no porta-malas da viatura. O vídeo também mostra os policiais debochando de Renato e dando risada durante a prisão.

 

 

 

Segundo o vereador Renato Freitas, uma pessoa que se identificou como apoiador de Jair Bolsonaro e policial o agrediu e quebrou um megafone que ele utilizava na manifestação pacífica contra Bolsonaro. Os agentes da Guarda Municipal quiseram levá-lo à delegacia para prestar depoimento. Ele argumentou ter sido a vítima da agressão e pediu para os agentes aguardarem a chegada de dois pessoas integrantes do seu gabinete para ir até à delegacia. Os guardas municipais então o levaram detido.

 

 

É a segunda vez que o vereador é preso em dois meses. No início de junho, ele foi preso pela Polícia Militar enquanto jogava basquete com amigos ouvindo música. Ele acusou a PM de racismo.

 

 

Renato é advogado e doutor em Direito. Há três meses, é comentarista fixo na TV 247, no programa Giro das 11.

 

 

 

“AÇÃO FASCISTA DA GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA. Acabaram de deter o vereador Renato Freitas na Praça Rui Barbosa por PROTESTAR contra o genocida Jair Bolsonaro. O vereador tá sendo levado para a Central de Flagrantes, no Bairro Portão. FASCISTAS!”, informa a postagem no Instagram do vereador.

O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) também comentou, nas redes sociais, o autoritarismo da guarda municipal de Curitiba.

 

 

Do site 247