Publicidade

Ventos democráticos embalam o Natal

  • em



Não ia escrever mais este ano, mas, em boa hora, me lembrei de agradecer ao Poder360 por este democrático espaço, exemplo de diálogo e convivência política de que nosso país tanto precisa. Em 2021 procurei exatamente fazer o que nós mais temos necessidade: lutar, combater e mobilizar, particularmente os jovens, contra toda forma de negacionismo, obscurantismo e preconceito. Virar, definitivamente, a página do bolsonarismo e do lavajatismo em sua expressão máxima de uso e abuso da Justiça com fins políticos e de poder.

 

 

Exercitei ao máximo o diálogo sem deixar de defender nosso projeto político, o meu partido, o PT, e Lula, seu legado e liderança. Mas fiz isso com a convicção de que, para retomar o caminho democrático e da justiça social em nosso Brasil, precisamos construir pontes ao lado da mais ampla mobilização popular. O objetivo é assegurar não apenas uma vitória eleitoral em 2022, mas, principalmente, condições para governar atendendo às demandas mais urgentes de nosso povo trabalhador: direitos básicos de bem-estar social, paz e segurança para suas famílias, oferta de emprego e serviços públicos universais e o fim dos flagelos da fome e da miséria, que nos abatem novamente.

 

 

Por fim, faz-se necessário combater a criminosa política negacionista com relação à pandemia e à ciência, além do ataque sistemático à cultura, à educação e ao meio ambiente, restaurando a imagem do Brasil no mundo e restabelecendo no país o respeito à Constituição de 1988 –rasgada pelo golpe de 2016 e pelos processos sumários, de exceção e políticos da Lava Jato e pela captura e aparelhamento das instituições do Estado no governo Bolsonaro.

 

 

O Brasil corre o risco de ficar à margem das mudanças de um mundo em transformação, seja pela revolução científica, seja pela ascensão da China e de um novo mapa geopolítico que se configura. Para que isso não aconteça, vamos ter que retomar a integração regional e latino-americana, e fazendo um esforço concentrado em educação, ciência e tecnologia. Tudo isso exige abandonar dogmas e políticas econômicas que só interessam a uma minoria rentista.

 

 

Nunca é demais reafirmar que, sem pôr fim à concentração de renda e riqueza e sem soberania nas decisões econômicas, não encontraremos o caminho do desenvolvimento nacional. Este exige distribuição de renda e a retomada do papel do Estado como planejador e indutor do crescimento.

 

 

A revolução climática, energética e científica em nível mundial já é um fato. O neoliberalismo está condenado a desaparecer. A disputa a que assistimos é se haverá uma regressão, como foi o nazifascismo, ou uma evolução para uma nova sociedade mais democrática e justa, ou mesmo revoluções sociais.

 

 

O Brasil está em condições de aproveitar essa janela de oportunidade histórica para mudar e deixar para trás a regressão social, política e cultural que Bolsonaro representa. Mas não só ele: é preciso deixar para trás também o modelo econômico da concentração de renda que só serve às elites, oprime o povo e nos condena à mediocridade, quando somos uma potência e temos todas as condições de ocupar nosso lugar no mundo.

 

 

Os ventos que vêm de nossa vizinhança geopolítica e cultural, das lutas e vitórias na Bolívia, no Peru, na Colômbia, na Argentina e, agora, no Chile, nos indicam o caminho a seguir. No 2º turno, Gabriel Boric, o presidente eleito do Chile, obteve apoio de um amplo leque de forças políticas além do Apruebo Dignidad (PC, RD, Comunes, Convergencia Social e FRVS), frente oficial de apoio ao candidato da esquerda, e da própria ex-Concertacion que reunia PS, PPD e DC.

 

 

Mas foi o chamado “estalido” social, a juventude, os pobres, os indígenas e os trabalhadores que asseguraram a ida do ex-líder estudantil para o 2º turno, ainda que com menos votos que os obtidos pelo candidato da direita, José Antonio Kast –um Bolsonaro piorado, se é que isso é possível. O cenário demonstra a força da direita e de seus ideários e interesses e serve de alerta para nós. O risco da vitória de um candidato de extrema-direita polarizou as ruas e provocou uma mobilização eleitoral há muito não vista, que teve como resultado a vitória de Boric.

 

 

Para surpresa de muitos, Kast não só reconheceu a vitória de Boric antes mesmo do término das apurações como cumprimentou o novo presidente. Um gesto que revela como estamos no fundo do poço com Bolsonaro e seu ataque constante às urnas eletrônicas e à democracia, sua pregação de ódio e violência. Sebastian Piñera, o presidente atual, logo depois da eleição, recebeu o presidente eleito no Palácio de La Moneda.

 

 

Simbolicamente, Boric disse que “se o Chile foi o berço do neoliberalismo, também será sua tumba”. Isso demarca um espaço e um tempo histórico e nos indica também um caminho.

 

 

Desejo a todas e todos um 2022 de paz e saúde, energia para a vida e para a luta, com a certeza de que retomaremos o fio da história com Lula presidente.

 

 




 

 

SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB
Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *