Publicidade

Únicos deputados federais candidatos à Prefeitura de São Luís falam da lei que adiou as eleições para novembro

  • em


A promulgação da Emenda Constitucional 107, na quinta-feira (02), adiando as eleições municipais deste ano, de outubro para novembro, provocou impacto direto nos dois únicos integrantes da bancada federal do Maranhão no Congresso Nacional – composta por 21 parlamentares – que são pré-candidatos a prefeitos, ambos de olho na prefeitura de São Luís, capital do estado: os deputados federais Eduardo Braide (Podemos) e Bira do Pindaré (PSB).

 

Com base em estudos e manifestações de cientistas e profissionais da Saúde, o Congresso Nacional se convenceu e decidiu mudar o atual calendário eleitoral, estendendo por mais 45 dias e definindo pela adoção de um protocolo de segurança sanitária para ajudar a proteger da covid-19 todos os envolvidos no processo eleitoral – candidatos a prefeitos, a vice-prefeitos, e vereadores; eleitores, militantes de partidos, mesários, fiscais, etc.

 

Seguem as entrevistas.

 

EDUARDO BRAIDE

 

Deputado, como você avalia a promulgação da Emenda Constitucional 107/20, que adiou as eleições municipais de outubro para novembro?

 

EDUARDO BRAIDE – Sempre defendi que essa não deveria ser uma decisão política, mas guiada pela ciência. Como todos os especialistas ouvidos nesse debate afirmaram que o melhor para segurança dos eleitores brasileiros seria o adiamento, caminhamos no mesmo sentido.

 

Há alguma norma do novo Calendário Eleitoral que você gostaria de discorrer?

 

EB – Todo o calendário foi ajustado para que o pleito transcorra com a segurança devida para os eleitores. Mais especificamente a possibilidade de realização de convenção por meio virtual, é um bom caminho nesse momento de pandemia.

 

Até que ponto o adiamento das eleições favorece a sua pré-candidatura?

 

EB – Acima da política, está a vida das pessoas. O favorecimento com o adiamento das eleições deve ser da população, que certamente terá um pleito com maior segurança sanitária.

 

Como você vai ajudar para que o processo eleitoral ocorra dentro das normas segurança sanitária?

 

EB – A Câmara já tem apresentado diversas propostas nesse sentido: ampliação do horário de votação; aumento do número de seções e locais de votação; e a garantia do cumprimento de todas as orientações sanitárias durante o pleito.

 

Há outras considerações que você gostaria de fazer a respeito dessas mudanças?

 

EB – Será uma campanha completamente diferente por causa da pandemia. E justamente vai requerer de nós completa responsabilidade para um debate de propostas e ideias para melhorar na prática a vida das pessoas.

 

BIRA DO PINDARÉ

 

Deputado, como você avalia a promulgação da Emenda Constitucional 107/20, que adiou as eleições municipais de outubro para novembro?

 

BIRA DO PINDARÉ – Sou plenamente favorável, tendo em vista que a pandemia ainda está em grau elevado e nós precisamos seguir a recomendação das autoridades médicas, de especialistas e estudiosos da área. É isso que recomenda a boa política, que, neste momento, mais do que nunca, é necessária para que a gente possa poupar vidas. E essa é a grande prioridade a ser observada e seguida por todos e todas nós.

 

Até que ponto o adiamento das eleições favorece a sua pré-candidatura?

 

BP – Não creio que haja um favorecimento da minha candidatura, mas da democracia. As eleições com esse novo calendário podem possibilitar que a campanha seja nas redes, mas também nas ruas, garantindo diálogo direto com a população de São Luís. Afinal, o debate da boa política se faz assim, com o pé no chão ouvindo as pessoas e olhando nos olhos delas. Claro que, mesmo com o adiamento, precisaremos observar e seguir todas as orientações das autoridades médicas e sanitárias. E estamos atentos a isso.

 

Como você vai ajudar para que o processo eleitoral ocorra dentro das normas segurança sanitária?

 

BP – Obedecendo todas as recomendações das autoridades médicas e sanitárias, como a boa política deve fazer. Algo que é muito claro para mim é que a vida das pessoas, a preservação da saúde é uma prioridade da qual não abrimos mão. Vivemos novos tempos e precisamos ficar atentos e cuidar uns dos outros.

 

Inclusive, no Congresso Nacional, a gente tem se dedicado a aprovar matérias que ajude a população a enfrentar esse novo momento. Destaco o auxílio emergencial; o auxílio para a cultura – inclusive com o São João; o PL 1142 com medidas emergenciais para quilombolas, indígenas e povos tradicionais; apoio aos pequenos e microempresários com crédito subsidiado; e conseguimos destinar emendas individuais para o Maranhão, que ultrapassam os 13 milhões. Mais da metade desse para o combate à pandemia.

 

Há outras considerações que você gostaria de fazer a respeito dessas mudanças?

 

BP – Com a aprovação do novo calendário, estamos retomando nossa pré-campanha com o movimento Pense São Luís. Na próxima segunda (06), faremos uma plenária popular; e retomar toda a construção do nosso programa e governo com participação popular. Então é algo muito importante que esse calendário nos garante para a construção de uma base programática que realmente possa oferecer perspectivas à altura do nosso povo.

 

  • Compartilhe