Publicidade

Trabalhadores reforçam a mobilização contra a venda de empresas públicas gaúchas

  • em



A mobilização dos trabalhadores, movimentos sociais, sindicatos, parlamentares tem feito toda a diferença e impõem um novo ritmo nos planos privatistas do governo Leite. Empenhado em vender as empresas públicas como a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), de Processamento de Dados (PROCERGS) e o Banco do Estado do Rio Grande do Sul.

 

O recado foi dado no protesto, realizado pelos trabalhadores e servidores das companhias, na terça-feira (25), organizado pelo Sindicato dos Bancários, Fetrafi-RS, Sindiágua e dos Trabalhadores em Processamento de Dados (Sindppd). Contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 280, que prevê que a população não seja consultada, por meio de plebiscito, sobre a venda das empresas públicas gaúchas. Os trabalhadores abraçaram, simbolicamente, o Banrisul, em que também está localizada a Corsan; e, depois, caminharam até a Assembleia Legislativa.

 

Governo não tem votos suficientes para aprovar PEC 280 na Assembleia Legislativa

 

Depois de conseguir levar, à apreciação, PEC 280 para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em tempo recorde, agora, o governo enfrenta dificuldades para ter sua aprovação no colegiado. Sem também analisar o pedido da oposição (PT, PDT, PSOL), que pede a anulação da votação em primeiro turno da PEC, que foi aprovada apesar das irregularidades.

 

“O governo não está conseguindo os 33 votos necessários, pois a votação em primeiro turno foi muito confusa. E, assim, vem atropelando todos os prazos e procedimentos, impedindo o debate com a sociedade. Parece uma questão de vida ou morte para o governador Eduardo Leite, do PSDB, que prometeu durante a campanha que não privatizaria o Banrisul e a Corsan”, disse o deputado estadual Luiz Fernando Mainardi (PT).

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *