Manifestação, organizada pelo Sindsep-MG, é realizada com apoio da CUT/MG, petroleiros e eletricitários, entre outras categorias, e mandatos de Beatriz Cerqueira, Betão, Rogério Correia e Patrus Ananias

 

Em manifestação convocada e organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores Ativos, Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal do Estado de Minas Gerais (Sindsep-MG), com apoio da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), dirigentes da entidade, dos movimentos sociais e lideranças políticas se uniram na manhã desta segunda-feira, 16 de agosto de 2021, na Companhia de Abastecimento (CeasaMinas) para protestar e fortalecer a luta contra a proposta de privatização da empresa pública.

O governo de Jair Bolsonaro anunciou que vai publicar em outubro um edital e que o leilão de privatização está previsto para novembro.

Trabalhadoras, trabalhadores e apoiadores alertam sobre os efeitos que a privatização da instituição terá para o aumento de tarifas para os produtores, risco de desabastecimento e, consequente, aumento dos preços dos alimentos para a população. Além dos prejuízos para a união, com o valor de venda anunciado abaixo do que a empresa vale.

Sania Barcelos, diretora do Sindsep-MG, aponta a maior preocupação com a privatização. “O principal objetivo da Ceasa é o escoamento de produção. Então temos mais de 4 mil produtores cadastrados e eles fazem a comercialização dos produtos a um baixo custo. Consequentemente, isso faz com que o alimento chegue a um preço justo na mesa do consumidor. O decreto que criou a Ceasa não prevê lucro, a empresa é única e exclusivamente para administrar o abastecimento alimentar. A partir do momento que for privatizado e o lucro passar a ser o objetivo maior, o consumidor final sentirá o aumento do preço dos insumos”, ressalta.

Além disso, de acordo com o SindSep-MG, um levantamento feito pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) avaliou a empresa com um valor de 10% do que ela realmente vale. Este levantamento mostra que o lance mínimo do leilão de privatização da CeasaMinas foi definido em R$ 253,2 milhões, mas o valor estimado da empresa é superior a R$ 2 bilhões.

“Primeiro quero saudar trabalhadoras e trabalhadores da Ceasaminas, à Sania Barcelos Reis, Jussara Griffo e José de Arimatéia Leite de Menezes, do Sindsep/MG; às categorias que se incorporaram a esta luta, como os petroleiros, os eletricitários, os movimentos sociais. Aos mandatos dos deputados estaduais Beatriz Cerqueira e Betão, e ao também deputado federal Rogério Correia. Informamos que, em sintonia com trabalhadoras e trabalhadores e com o Sindsep/MG, nosso mandato entrou com um ofício ao procurador do Ministério Público do Tribunal de Contas contra a privatização da Ceasa. E também se não conseguirmos êxito na nossa lutar maior, que é evitar a privatização, brigaremos contra os valores irrisórios que estão sendo propostos pelo governo. Valores que ofendem qualquer pessoa que tenha conhecimento de contabilidade pública e do patrimônio público. Chamamos para reflexão as pessoas que estão comprometidas com o Brasil, pessoas de boa vontade, com sensibilidade humana, social, que ama o próximo e os mais empobrecidos. Este é um momento de desafios”, disse o deputado federal Patrus Ananias, durante o ato.

Da CUT Brasil