Publicidade

Tecendo o Amanhã entrevista Requião sobre estar sem partido, mas com a bandeira do Brasil Nação

  • em



Ex-governador do Paraná por três vezes e ex-líder político do MDB, Roberto Requião mantém defesa do nacionalismo popular e democrático!

 

 

O Tecendo o Amanhã mantém a linha de discutir um projeto de Nação para o Brasil. Na edição dessa quarta-feira (11), o convidado foi Roberto Requião, governador por três vezes do Estado do Paraná, ex-senador e ex-prefeito de Curitiba, dentre outros cargos eletivos ou não.

 

 

Fundador do MDB, Requião foi convidado a falar sobre estar, atualmente, sem partido político, mas carregando sempre a bandeira do Brasil Nação.

 

Confira!

 

 

O programa Tecendo o Amanhã, da TV Comunitária do Rio de Janeiro, é transmitido ao vivo. Trata-se de uma parceria entre os canais comunitários do Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Recife e a rádio Manawa, a voz da resistência. A rádio Manawa pode ser sintonizada pela Internet em manawa.com.br. O Tecendo o Amanhã é apresentado pelos jornalistas Moysés Corrêa, da TVC Rio,  Beto Almeida, diretor da Telesur e editor do programa Latitud Brasil, TVCom Brasília e Jornal Brasil Popular, César Fonseca, editor do site Independência Sul Americana, e Francisco Soriano, diretor da TV Com do Rio.

 

 

O nome do programa é uma homenagem ao grande poeta brasileiro pernambucano João Cabral de Melo Neto, que escreveu um poema parecido com o nome do programa, “Tecendo a Manhã”. “Em que ele diz que um galo sozinho não faz o canto ser escutado. Mais ou menos por aí a imagem de que, para nós, nos serve como um alma para defender a favor da cultura, da vida, do Brasil, da soberania e de uma relação inteligente e harmoniosa com a natureza”, afirma o jornalista Beto Almeida sobre a inspiração para o nome do programa. Confira o poema:

 

 

Tecendo a Manhã

 

1.
Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro galo
que apanhe o grito que um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos.

 

2.
E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendendo para todos, no toldo
(a manhã) que plana livre de armação.
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão.

 

Publicado no livro A educação pela pedra (1966).

 

In: MELO NETO, João Cabral de. Obra completa: volume único. Org. Marly de Oliveira. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. p.345. (Biblioteca luso-brasileira. Série brasileira
Reproduzido do site Escritas.Org: https://www.escritas.org/pt/t/11508/tecendo-a-manha

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *