Nesta edição, os jornalistas Moysés Corrêa e Beto Almeida batem um papo com o professor Ivan Proença sobre as ameaças à cultura brasileira, uma constante no governo Jair Bolsonaro (ex-PSL). Confira ao final deste texto, o programa completo.

 

 

Um incêndio criminoso, ocorrido no dia 29 de julho, num galpão da Cinemateca Brasileira, em São Paulo, no qual era guardado um imenso acervo de produções culturais brasileiras. O governo Bolsonaro não cumpriu a Constituição e abandonou completamente a obrigação de cuidar do setor cultural.

 

 

Segundo a Defesa Civil de São Paulo, muitos materiais estavam jogados pelos cantos, pelo chão de todo o espaço e o prédio, em situação de abandono e sem manutenção, é o retrato do tratamento que Jair Bolsonaro dedica ao setor cultural.

 

“Já tivemos as ameaças do presidente da Fundação Palmares de destruição de livros sobre a cultura negra no Brasil. Já tivemos vários episódios de mudanças na cultura e de destruição de todos os elementos e instrumentos que procuravam apoiar a cultura brasileira”, lembra Corrêa.

 

 

Para debater o tema, nesta edição do Tecendo o Amanhã, transmitida pela TV Comunitária do Rio, na segunda-feira (2), o especialista e professor Ivan Proença.

 

 

 

O Tecendo o Amanhã é transmitido ao vivo. O programa é uma parceria entre os canais comunitários do Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Recife e a rádio Manawa, a voz da resistência. A rádio Manawa é pode ser sintonizada pela Internet em manawa.com.br. O Tecendo o Amanhã é apresentado pelos jornalistas Moysés Corrêa, da TVC Rio,  Beto Almeida, diretor da Telesur e editor do programa Latitud Brasil, TVCom Brasília e Jornal Brasil Popular, e César Fonseca, editor do site Independência Sul Americana.