Publicidade

STF manda à PGR pedido contra Bolsonaro por incitação ao crime

  • em



A ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), abriu prazo de 15 dias para a PGR (Procuradoria Geral da República) se manifestar sobre um pedido de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por incitação ao crime, apologia à violência política, apologia ao crime e “abolição violenta do Estado Democrático de Direito”.

 

 

O relator do caso é o ministro Dias Toffoli. O Supremo, no entanto, está em recesso até 31 de julho e Weber é a responsável pelo período de plantão.

 

 

A decisão foi dada em uma representação enviada à Corte por congressistas de oposição na esteira do assassinato do petista Marcelo Arruda por um apoiador de Bolsonaro. A solicitação foi feita por 14 deputados do PT, Psol, PC do B, PDT, Rede, PSB e PV.

 

 

Os congressistas afirmam que as manifestações do presidente em lives e redes sociais estimulam “práticas violentas, de ódio e intolerância contra brasileiros que professam pensamentos e ideologias diferentes” da de Bolsonaro. A conduta, afirmam, resultou “no repugnante assassinato em Foz do Iguaçu”.

 

 

“As reiteradas condutas do Representado em nada colaboram para a pacificação social, a medida em que alimentam, de forma indevida e criminosa, uma suposta divisão da sociedade entre o bem e o mal, permitindo que posições e discursos raivosos, de ódio e de violência como solução de litígios, embora minoritários, sejam alimentados no País, com resultados desastrosos, como se viu há poucos dias”, prosseguem.

 

 

A solicitação é semelhante a uma feita à PGR pelos mesmos partidos de oposição. No pedido, os congressistas também apontam suposta incitação ao crime, apologia à violência política, apologia ao crime e “abolição violenta do Estado Democrático de Direito”.

 

 

Em resposta ao Poder360, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse na 3ª (12.jul.2022) que é preciso “cautela” para apurar casos envolvendo incitação à violência.

 

 

“É preciso ter cuidado, cautela, porque quando nós agimos dentro da Constituição Federal e das leis, fortalecemos o Estado Democrático de Direito. Não podemos perder a noção de que o MP tem limites e deve respeitar os limites, assim como a magistratura, a polícia, o Executivo, e o Legislativo”, afirmou.

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *