Publicidade

Sociedade civil repudia postura de Bolsonaro diante do coronavírus

  • em


Organizações do Pacto pela Democracia manifestam publicamente seu rechaço à conduta adotada pelo presidente Jair Bolsonaro no manejo do país em meio a pandemia do Covid-19

O Pacto pela Democracia, coalizão de mais de 140 organizações que atua em defesa dos valores democráticos no Brasil, vem a público manifestar veemente indignação pelo discurso proferido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, na noite do último dia 24 de março em rede nacional.

As últimas afirmações de Bolsonaro – que colocam em xeque a veracidade da crise planetária que estamos vivendo sob a rápida disseminação do coronavírus, a despeito de recomendações internacionais e de especialistas no assunto – vêm na esteira de uma série de condutas condenáveis e irresponsáveis que colocam em risco a vida de milhões de brasileiros e brasileiras, minando esforços que diversas autoridades públicas e agentes sanitários em todo mundo têm tomado para a contenção da pandemia.

Diante desse cenário, 50 organizações da sociedade civil assinaram uma nota de repúdio condenando a postura de Jair Bolsonaro e o perigo que ela representa para a sociedade brasileira. A nota também exorta que o Ministério da Saúde, o Congresso Nacional e os governos estaduais e municipais sigam com as políticas recomendadas de isolamento social e que priorizem os setores mais vulneráveis da população.

Além da nota, as organizações lançarão, também, um vídeo-campanha reforçando o compromisso da sociedade civil com a preservação da vida e contra atitudes que violem o direito à vida e ao bem-estar coletivo, princípios fundamentais da vida democrática. O vídeo será divulgado no Brasil e no exterior.

Abaixo, segue a nota subscrita pelas organizações:
INCONSEQUENTE E INACEITÁVEL

Vimos a público externar nossa indignação frente às ações do presidente da República, Jair Bolsonaro, que, mesmo em um contexto de tamanha gravidade e calamidade pública, continua a atuar de forma contrária aos limites razoáveis do regramento democrático e do decoro do cargo. Testemunhamos ao longo dos últimos meses dezenas de episódios que atestam sua sanha autoritária e aspiração de governar sem o contraponto e a cooperação do Parlamento, do sistema de justiça, da imprensa livre e da sociedade civil organizada.

Diante da trágica eclosão da pandemia do coronavírus, que no momento de fechamento desta nota já havia infectado 435.400 pessoas e levado à morte de 20 mil pessoas nos seis continentes do planeta, Bolsonaro explicita sua faceta mais inconsequente e desumana. Em vez de honrar a responsabilidade de liderar o país neste momento crítico, o chefe do Executivo optou por desprezar a ciência, as recomendações dos órgãos internacionais de saúde e das autoridades sanitárias de seu próprio governo, colocando em risco a vida de milhões de brasileiros e prejudicando o esforço de países em todo o mundo no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

A cada novo pronunciamento, Bolsonaro evidencia seu descompromisso com a preservação da vida da população brasileira, buscando inclusive desacreditar as iniciativas tomadas pelos governos estaduais e municipais que, sem uma liderança nacional confiável, buscam responder a esta crise sem precedentes na história recente da humanidade. Ele afronta e busca destruir os pilares mais elementares da convivência em sociedade: o respeito e a solidariedade humana.

A postura do presidente Jair Bolsonaro frente à pandemia da Covid-19 é inconsequente e inaceitável. Seu pronunciamento na noite de 24 de março atesta sem margem para dúvidas sua incompatibilidade com o cargo que ocupa, desprovido de premissas básicas de humanidade, empatia, e incapaz de produzir cooperação e honrar o compromisso de promover o bem-estar dos seus concidadãos e concidadãs.

Para além de ignorar suas recomendações incabíveis, exortamos todos os setores e instituições democráticas da sociedade brasileira, particularmente o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional, brasileiros e brasileiras e toda a comunidade internacional a repudiar de maneira veemente a conduta irresponsável do Presidente da República Federativa do Brasil que, em vez de liderar o país, optou por trilhar o caminho da ignorância e da barbaridade.

Reivindicamos que o Ministério da Saúde, o Congresso Nacional, os Governos Estaduais e Municipais mantenham as orientações de isolamento social, canalizem todos os recursos para a prevenção e enfrentamento da Covid-19, priorizando os setores mais vulneráveis da sociedade e garantindo recursos para que possamos zelar pela sobrevivência daqueles que enfrentam os efeitos mais perversos desta crise. Nada é mais importante do que a preservação de nossas vidas neste momento, sem distinção.

A despeito da insanidade e irresponsabilidade do presidente da República, o único caminho para atravessarmos a atual crise de forma digna e democrática reside na união de todos os atores sociais e políticos comprometidos com o bem-estar coletivo, o interesse público e os inegociáveis valores de humanidade e solidariedade.

Assinam:

  1. Ação Educativa
  2. ABI – Associação Brasileira de Imprensa
  3. Abong – Organizações em Defesa dos Direitos e Bens Comuns
  4. Associação da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo
  5. Atados
  6. BrCidades
  7. Casa Fluminense
  8. CEDAPS – Centro de Promoção da Saúde
  9. Cidade Escola Aprendiz
  10. Coletivo Imargem
  11. Conectas Direitos Humanos
  12. Engajamundo
  13. Frente Favela Brasil
  14. Forum Brasileiro de Economia Solidária
  15. Fundação Tide Setubal
  16. Geledés – Instituto da Mulher Negra
  17. Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero
  18. Goianas na Urna
  19. Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para Agenda 2030
  20. Habitat para a Humanidade Brasil
  21. Instituto Braudel
  22. IDDD – Instituto de Defesa do Direito de Defesa
  23. IDS – Instituto Democracia e Sustentabilidade
  24. INESC – Instituto de Estudos Socioeconômicos
  25. Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social
  26. Instituto Nossa Ilhéus
  27. Instituto Physis – Cultura & Ambiente
  28. Instituto Update
  29. Instituto Vladimir Herzog
  30. Judeus pela Democracia
  31. Labhacker
  32. Move Social
  33. Movimento Boa Praça
  34. Movimento Nossa BH
  35. Política Viva
  36. ponteAponte
  37. Programa Cidades Sustentáveis
  38. Ocupa Política
  39. Oxfam Brasil
  40. Rede Brasileira de Renda Básica
  41. Rede Justiça Criminal
  42. Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS
  43. Rede Nossa São Paulo
  44. Tapera Taperá
  45. Think Olga
  46. Transparência Brasil
  47. Transparência Capixaba
  48. UNE – União Nacional dos Estudantes
  49. Virada Política
  50. Vote Nelas

 

  • Compartilhe