Publicidade

Sessenta embaixadores felicitam Brasília, alguns no idioma natal

  • em


Quem fez aniversário nos últimos 30 dias dificilmente esquecerá as circunstâncias da celebração neste 2020, quando as regras de isolamento social fizeram com que houvesse mais mensagens eletrônicas e menos abraços. Para muitos, foi o primeiro “parabéns” por videoconferência, enquanto outros perceberam a importância de se comer um bolo na companhia de suas famílias, um presente que não se pode comprar.

 

Com nossa cidade não é diferente. O 21 de abril, normalmente marcado por inúmeros espetáculos sob um céu azul, foi obrigado a se resguardar este ano por conta da pandemia de Covid-19. Nem por isso poderíamos perder a oportunidade de homenagear Brasília pelo seu 60 o aniversário.

 

A capital de um país carrega em si o privilégio e a responsabilidade de representar seu povo perante o mundo, ao tempo que abriga os representantes de outras nações. É por meio do ofício diplomático que acontecem as mais importantes comunicações entre países, e é na capital que se manifesta o diálogo que, em tempos difíceis como os atuais, se faz cada vez mais urgente.

 

Assim, foram os embaixadores residentes na nossa cidade que, em meio a reuniões virtuais em prol de soluções para a pandemia, reservaram alguns momentos em suas agendas para manifestar seu carinho à Brasilia, que os acolhe. A campanha “Parabéns, Brasília”, realizada pelo Escritório de Assuntos Internacionais do Governo do Distrito Federal em parceria com a Secretaria de Cultura e a Agência Brasília, reúne as felicitações endereçadas aos brasilienses por 60 chefes de missão em suas línguas maternas. São palavras que, simbolicamente, resumem em poucos segundos o sentimento de companheirismo que une tantas nações, e que tão bem caracteriza esta cidade como uma das mais internacionais do planeta.

 

Longe de significar desunião, este período de isolamento nos mostra a importância de trabalharmos juntos por uma só causa, e nos aproxima, paradoxalmente, até das mais distantes sociedades. Quem sabe, se procurarmos trabalhar com mais união no dia-a-dia, seremos capazes de replicar grandes feitos, como a construção de nossa cidade, e não precisaremos mais adiar tantos abraços quando surgirem os próximos desafios. Aos ventos que hão de vir!

 

Assista aos três vídeos, clicando abaixo:

 

Vídeo 1

 

Vídeo 2

 

Vídeo 3

  • Compartilhe