Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) e da Federação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Fenadsef),  e outros sindicalistas, além de servidores públicos federais, estaduais, municipais e de centrais sindicais, fazem vigília em frente ao plenário no qual a Comissão Especial que discute a PEC 32, da reforma administrativa, está reunida.

As lideranças sindicais denunciam o desmonte do serviços públicos e a pressa e a ânsia que os parlamentares governistas estão colocando na aprovação do texto que, segundo elas, irá enterrar de uma vez por todas ao Estado de bem-estar social e o capítulo sobre a gestão dos serviços públicos da Constituição Federal de 1988.

Especialistas têm denunciado vários problemas nos textos do governo Bolsonaro e no substitutivo do relator deputado federal Arthur de Oliveira Maia (DEM-BA). Nesta quarta-feira (15), os parlamentares da comissão especial estão reunidos para votar a peça.

Há um temor de que o relatório com o texto substitutivo de Maia sofra alterações e seja votado sem que o amplo debate necessário aconteça.

A proposta carrega centenas de problemas, atinge atuais servidores, acaba com a estabilidade, incentiva e amplia a contratação de apadrinhados sem concurso e, na prática, segue representando o fim dos serviços públicos e do acesso da população às políticas públicas.

“Só a derrota da PEC 32 interessa. O recado é um só: deputado que votar contra os direitos do povo não merece nosso voto em 2022. Se votar PEC 32, não volta! A pressão vai continuar”, afirmam os sindicalistas, que se mantêm no corredor das comissões, em frente ao plenário que analisa a PEC da reforma administrativa.

Eles pedem à população para compartilhar essa notícia e pressionar todos os deputados da Comissão Especial para que votem não votem na PEC 32.

“Votar em defesa dos serviços públicos é votar em defesa do Brasil e dos brasileiros. Juntos vamos derrotar essa reforma administrativa”, declarou Silva.

Nas redes digitais, eles usa as hashtags: #CancelaAReforma #PEC32VaiFlopar #NãoÀPEC32. Confira o vídeo da vígilia.