Publicidade

Senado inscreve Paulo Freire no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria

  • em



Relatado pelo líder do PT no Senado, Paulo Rocha (PA), projeto da ex-senadora Fátima Bezerra (PT), foi acatado por unanimidade na Comissão de Educação do Senado

 

 

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou por unanimidade nesta quinta-feira (25) o projeto de lei (PL 148/2017) que inscreve o nome do educador Paulo Freire no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria, no ano do centenário de seu nascimento.

A iniciativa, da ex-senadora Fátima Bezerra (PT), hoje governadora do Rio Grande do Norte, foi relatada pelo líder do PT no Senado, Paulo Rocha (PA), que fez uma homenagem à autora da proposta e à primeira relatora, Lídice da Mata (PSB-BA), hoje deputada federal.

“Paulo Freire é dessas figuras singulares capazes de engrandecer e envaidecer qualquer Nação. Graduado em direito, com doutorado em filosofia e história da educação, foi na pedagogia que o educador realmente se destacou, com teses e abordagens marcadas por uma profunda preocupação com as injustiças sociais, propondo a educação como caminho de libertação e construção da cidadania”, afirmou Paulo Rocha.

O líder destacou a projeção internacional da obra do educador, os livros publicados, os diversos prêmios recebidos, a importância para o país e o mundo de seu método de alfabetização de adultos e sua participação ativa no processo de redemocratização do Brasil, após ter se exilado na Bolívia e no Chile.

“Considerando a relevância da atuação de Paulo Freire e de seu legado para a educação brasileira, especialmente no que concerne à redução das desigualdades sociais por meio da alfabetização de adultos, não há dúvida de que o projeto é meritório”, concluiu Paulo Rocha.

Para o senador Paulo Paim (PT-RS), o educador é um homem do mundo. “Ele percorreu mais de 50 países, lecionando nos mais importantes centros universitários internacionais, e tendo aplicado seu método de alfabetização na Ásia, África e América Latina. Sua obra acabou, portanto, por assumir dimensões universais”, afirmou.

O senador classificou a aprovação como histórica. “Paulo Freire dedicou sua vida e sua obra à causa dos oprimidos, dos desvalidos, dos esfarrapados do mundo, sempre esperançando, sempre buscando superar a feiura da opressão e alcançar a boniteza da comunhão, da liberdade, da democracia, da cidadania.”

Já a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) lembrou da atuação de Paulo Freire no município potiguar Angicos, onde implantou seu método para ensinar a ler em 40 horas. “O que ele fazia era mostrar para aquele povo que eles não eram pobres, mas estavam empobrecidos por falta de ação do estado, que não oferecia o instrumento, que era a educação, para eles saírem da extrema pobreza”, resumiu.

Vida e obra

Paulo Reglus Neves Freire nasceu em 19 de setembro de 1921, em Recife, e faleceu em 2 de maio de 1997, em São Paulo. Foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, em 1980, e Secretário de Educação da cidade de São Paulo na gestão da prefeita Luiza Erundina, entre 1989 e 1991.

Freire é um dos brasileiros mais homenageados internacionalmente. Foi agraciado com o título de doutor Honoris Causa por 27 universidades desde 1973, de países com diferentes matizes ideológicas como Inglaterra, Bélgica, Estados Unidos, Suíça, Bolívia, Suécia, entre outros.

Em 1986 foi agraciado com o Prêmio Unesco da Educação para a Paz, e em 1992 com o Prêmio Andres Bello de Educador do Continente, da Organização dos Estados Americanos (OEA). Através da Lei nº 12.612/2012, sancionada por Dilma Rousseff, Paulo Freire foi declarado Patrono da Educação Brasileira.

Além de uma vasta obra materializada em diversos livros, como “Educação como prática da liberdade” (1967), “Pedagogia do Oprimido” (1968), “Pedagogia da Esperança” (1992) e “Pedagogia da autonomia” (1997), Paulo Freire deixou também um imenso legado como educador e como pensador.

 

 

 




 

 

SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

O Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB
Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *