Publicidade

Sem manutenção e segurança, usuários da Rodoviária do Plano sofrem com descaso 

  • em



Há poucos dias, o Governo do Distrito Federal (GDF) liberou mais uma parcela de R$ 100 milhões a empresas de ônibus. O montante repassado ao setor passa de R$ 200 milhões. Por outro lado, os usuários de transporte público sofrem com a falta de segurança e manutenção nas instalações da Rodoviária do Plano Piloto. Aproximadamente, 500 mil pessoas transitam todos os dias no local. E quem utiliza a área reclama de constantes cenas de violência e das péssimas condições do espaço. O problema foi discutido em audiência pública realizada, na manhã de quarta-feira (8), na Câmara Legislativa do DF (CLDF).

 

Integrantes da Associação dos Usuários da Rodoviária de Brasília (AURB) e comerciantes que possuem lojas e quiosques na rodoviária do Plano Piloto relataram na reunião os problemas verificados diariamente.  Maria de Jesus, que é da AURB, apresentou um vídeo feito por ela onde mostra vazamentos no teto, sujeira nos banheiros e instalações elétricas deterioradas, a ponto de causar incêndios. Além desses problemas estruturais, relataram ainda assaltos, presença de traficantes e usuários de drogas e até assassinatos.

 

“É uma situação dramática de abandono e descaso”, disse o deputado distrital Chico Vigilante (PT), autor do pedido da audiência pública. O parlamentar frisou que a Rodoviária já foi cartão de visita de Brasília, mas hoje é um local mal visto. “O desafio é encontrar mecanismos para que a rodoviária volte a ser um local seguro e satisfatório para a população”, acrescentou.

 

Ao criticar o atual governador Ibaneis Rocha (MDB) por deixar a Rodoviária em pleno abandono, o presidente da AURB, Keeslew Caixeta Lobo, disse que os problemas se arrastam há anos. Segundo ele, esse cenário dramático teve início no governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) e continua até hoje, com o que chamou de “obras mal planejadas e mal executadas”.

 

Lobo pediu às secretarias do DF uma mobilização para atuação conjunta na área e reivindicou orçamento próprio para a rodoviária, como já aconteceu em gestões anteriores. “A população tem o direito de passar pelo local para fazer seu lanche por custo baixo e seguir a vida para o trabalho”, disse.

 

O que diz o GDF

 

O administrador da Rodoviária do Plano Piloto, Josué Martins de Oliveira, que participou da audiência, disse que o atual governo encontrou o espaço sucateado e com “reformas paradas”. De acordo com Oliveira, o GDF vem tentando fazer mudanças e defendeu a retirada de camelôs e ambulantes do local.

 

O chefe do Departamento de Edificações da Novacap, Carlos Alberto Spies – um dos órgãos responsáveis pela manutenção e zeladoria da Rodoviária – disse que a prioridade está na resolução das infiltrações em reservatórios de água, elevadores e escadas. Disse ainda que estão sendo feitos novos projetos para a reforma e manutenção desses espaços.

 

O secretário das Cidades do DF, Valmir Lemos Oliveira, admitiu vários dos problemas apresentados. Destacou que a Rodoviária além de oferecer transporte público tem questões de infraestrutura, assistência social, saúde pública e fiscalização. Segundo ele, o governo tem realizado ações para recuperar o local, mas elas ainda não se tornaram perceptíveis para a população. “A situação vai melhorar com a recente decisão do governo de retornar a administração da Rodoviária para a Secretaria de Transportes e Mobilidade”, disse.

 

O Jornal Brasil Popular entrou em contato com a assessoria do GDF para obter mais informações. Em nota, o governo informou que no momento a Administração da Rodoviária do Plano Piloto aguarda processo licitatório junto à Novacap para contratação de empresa de manutenção diária.

 

“O processo licitatório não anula as constantes ações para manutenção do local. A maior parte das obras da Estação Rodoviária são oriundas da década de 60, por isso as estruturas do local são preservadas e consideradas patrimônio tombado, criadas para atender apenas 1500 pessoas. Atualmente, o fluxo gira em torno de 800 mil pessoas”, diz a nota.

 

O deputado Chico Vigilante solicitou ao secretário de Transportes, Valter Casimiro, esclarecimentos sobre como ficará a situação dos comerciantes da Rodoviária. Casimiro disse que o processo licitatório de concessão não tem como objetivo a exploração comercial das lojas, mas sim dar condições de segurança e manutenção aos equipamentos públicos. A intenção, segundo ele, é preservar os permissionários legais hoje existentes.

 

 




 

 

SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

O Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB
Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *