Publicidade

Seca deixa 18 bacias hidrográficas gaúchas em estado de alerta

  • em


O mês de janeiro começa no Rio Grande do Sul sem trégua para a estiagem. Apesar de apresentar um quadro mais favorável para a possibilidade de chuvas. Isso não reverterá o panorama, sobretudo para o nível dos rios. Nos últimos dias de 2020, os volumes de chuvas registrados não representaram mudanças significativas. Informe da Sala de Situação da Secretaria do Meio Ambiente do estado, emitido nesta segunda-feira, 04 de janeiro, mostra 18 bacias hidrográficas gaúchas em estado de alerta por causa da seca. “As chuvas devem retornar ao Rio Grande do Sul, a partir desta terça-feira, 05 de janeiro, porém deve apresentar distribuição irregular nas bacias gaúchas, com acumulados mais significativos apenas em pontos isolados. Com elevações pouco significativas em nível de bacia, podendo mitigar momentaneamente a baixa disponibilidade hídrica em alguns pontos do norte do estado”, detalha a nota. Estão em alerta as bacias do  Camaquã, Santa Maria, Negro, Ibicuí, Butuí-Icamaquã, Piratinim, Ijuí, Turvo Santa Rosa-Santo Cristo, Passo Fundo, Várzea, Vacacaí-Vacacaí Mirim, Pardo, Lago Guaíba, Caí, Sinos, Gravataí, Alto e Médio Uruguai.

 

A chuva será bastante irregular no território gaúcho e também será mal distribuída, de acordo com a meteorologista do InMet Sul, Estael Sias. Provocado pelo fenômeno La Niña, que é a diminuição da temperatura das águas do Oceano Pacífico. No Brasil se intensificam as chuvas, na Amazônia, no Nordeste e em parte do Sudeste. E a estiagem no Rio Grande do Sul. Segundo a Defesa Civil, 112 municípios gaúchos estão com situação de emergência decretada.

 

Nível do Lago Guaíba, em Porto Alegre, ainda no mês de novembro de 2020.  /  Foto de Mauro Schaefer/Correio do Povo

 

 

 

  • Compartilhe