Publicidade

Se o compliance seguir regras para a Petrobrás, Prates não será presidente

  • em



Não foi de boa qualidade o primeiro óleo vindo da indicação de Prates para a Petrobrás

 

Prates vai colocar à prova mais uma vez a sinceridade e a realidade da política real do compliance da companhia e o cumprimento da Lei das Estatais. Não vai precisar só parecer honesta, mas terá que ser bem honesta. E se seguir as regras, o nome de Prates subirá no telhado e não passará. Simples assim. Prates terá que explicar à diretoria da Petrobrás suas ligações com empresas de consultoria na área de petróleo e gás e o conflito de interesses por participar societariamente de outras tantas do mesmo segmento. Além disso, precisará desviar do que a Lei das Estatais estabelece para assumir o cargo. Prates é sócio de diversas empresas do setor de consultoria de óleo e gás, mesmo ramo da estatal. O nome dele não aparece diretamente no contrato social, mas por meio de holdings que pertencem a ele e são sócias das empresas.

 

Um exemplo é a Expetro Consultoria em Recursos Naturais. O único sócio pessoa física é Gustavo José dos Santos Frickmann, citado como administrador. Outras duas empresas participam da sociedade, a Singleton Participações Imobiliárias e a Atma Sociedade Gestora De Participações Sociais. Ambas pertencem a Prates. Ele mesmo nunca escondeu esta sua proximidade com a Expetro. No Linkedin, ele mostra que é líder do conselho da empresa há quase 12 anos e revela a sua própria experiência atuando diretamente com mais de 50 companhias interessadas em ingressar no mercado brasileiro de petróleo.

 

O último exemplo que tivemos foi com a indicação de Adriano Pires (foto à direita) no governo Bolsonaro. Abatido em pleno voo, ele acabou desistindo por ser fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), consultoria que atua no ramo de energia, no qual a Petrobrás também atua. Neste duelo com o compliance da companhia, Prates vai precisar de uns três ou quatro atiradores de apoio no telhado para lhe dar suporte. O contrário será o descrédito total da política de sanidade imposta pela companhia desde os escândalos da Lava Jato. A mesma política que faz espezinhar até a segunda geração das empresas que são ou que pretendem ser um dos fornecedores da Petrobrás. A candidatura de Prates praticamente subiu no telhado e poderemos ter um outro nome para ser submetido. Só dedos políticos podem mudar o destino dele.

 

Para colocar a cereja no bolo do compliance e fel no iougurte de Prates, uma empresa que não consta em suas redes sociais é a Bioconsultants Consultoria em Recursos Naturais e Meio Ambiente, onde é sócio por meio da Singleton. Aberta em 2009, a Bioconsultants atende pelo nome fantasia de CRN-Bio e o sócio o coordenador de desenvolvimento energético da Secretaria de Desenvolvimento do Rio Grande do Norte, Hugo Alexandre Meneses Fonseca. O site oficial detalha que a CRN-Bio firmou contrato com várias empresas do setor energético. No perfil de Fonseca consta que ele deixou o cargo de CEO da CRN-Bio em 2005, embora ainda conste como um dos donos. Outra é a Praxis Brasil Consultoria de Investimentos, que atua com gestão empresarial e imobiliária. O senador participa da companhia por meio da Atma, que está ativa, segundo a Receita Federal. E nesta, com um agravante: ele divide as tarefas com o empresário Sérgio Caetano Leite, que consta como sócio-administrador. Leite foi um dos subsecretários do Consórcio do Nordeste durante a crise da fraude dos respiradores e também é sócio de Prates na Singleton e na Atma.

 

Em uma entrevista, o senador Prates disse que já se desligou das empresas citadas, nos casos em que ainda estão ativas, embora isso não conste nos dados da Receita Federal. Também informou que o uso de holdings para administrá-las teve como objetivo facilitar a saída da administração, se isso fosse necessário e que já que precisou se desincompatibilizar das funções das empresas nos períodos em que foi secretário de estado no Rio Grande do Norte. Os próximos dias de análise, onde a candidatura dele será analisada pelo Compliance da Companhia serão, certamente, de muitas conversas políticas. Quem será ferido a bala em tiro de morte neste duelo conheceremos. Quem viver, verá.

 

Fonte: Petronoticias Editorial

Reproduzido do site da AEPET. Acesse: https://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/8599-se-o-compliance-seguir-regras-que-impoe-para-ocupacao-dos-cargos-da-petrobras-prates-nao-sera-presidente




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *