Publicidade

RS permanecerá em bandeira preta pela sexta semana consecutiva

  • em


O risco para contaminações por Covid-19 em todo o Rio Grande do Sul segue bastante alto. E o Estado seguirá em bandeira preta pela sexta semana seguida, dentro do Modelo de Distanciamento Controlado, e não serão aceitos recursos contestando as regras.

 

Segundo o painel da Secretaria Estadual da Saúde atualizado diariamente, nesta sexta, 02 de abril são 858 mil casos confirmados e 20.234 mortes.

 

A taxa de ocupação de leitos em geral está em 97,8%. Março encerrou com dados alarmantes com o maior número de falecimentos por Covid-19, somente num mesmo mês, 7 mil pessoas.
Mesmo que se verifique uma queda de ocupação de leitos clínicos, a preocupação é grande principalmente com o feriado de Páscoa, para que se redobre os cuidados.

 

 

“ Apelo para que se conscientizem, principalmente a questão de viagens, a questão de encontrar familiares, a ideia de que uma vacina pode estar favorecendo uma liberação comportamental, reduzir a necessidade de uso de máscara, tudo isso não pode acontecer porque nós teremos mais um pico depois da Páscoa em duas ou três semanas. Isso seria um desastre ainda maior do que vivemos agora nas últimas semanas”, reforçou a diretora do Hospital de Clínicas, Nadine Clausell.

 

Vereadores criam Frente Parlamentar sobre “tratamento precoce” para Covid-19

 

A proposta de autoria da vereadora Mônica Leal (PP) foi aprovada no dia 31 de março, com 26 votos favoráveis e 6 contrários. A proponente justifica a criação da Frente Parlamentar sobre os possíveis benefícios do Tratamento Precoce no Combate à Pandemia do Coronavírus”, “fiz essa proposição com a intenção de trazer para o debate e esclarecimentos na Câmara Municipal essa questão de saúde tão presente e polêmica, quando se fala na Covid-19”.

 

 

A distribuição dos medicamentos como hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina, vitamina D, e C fazem parte do Kit Covid, autorizado para ser usado pelo prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), mesmo sem comprovação científica do seu uso para o combate à Covid-19. Apenas os vereadores do PSOL e do PC do B foram contrários à proposta. Os demais parlamentares se posicionaram favoravelmente, incluindo os quatro da bancada do PT. A justificativa, segundo a assessoria do Partido dos Trabalhadores, “a votação não levou em conta o mérito da proposta, ao qual os vereadores seriam contrários, mas, sim a tradição da bancada de votar a favor da criação de frentes por considerar que a responsabilidade por elas é de seus proponentes”.

 

 

Enfermeira registra agressão em Unidade de Pronto Atendimento 

 

 

A enfermeira Daniela da Motta Esteves sofreu foi agredida nesta segunda-feira, 29 de março, na Unidade de Pronto Atendimento Moacyr Scliar, localizada na zona norte de Porto Alegre. Ela contou que o caso de violência se deu por parte do filho de uma paciente que passava pela sala de triagem de Covid-19 da UPA. O motivo teria sido em função da pessoa apresentar um quadro de estabilidade e não necessitar de atendimento imediato. “Deu para perceber desde princípio que o acompanhante estava irritado mas não imaginava que ele ia partir para agressão física, pois a verbal já faz parte do nosso cotidiano”, relata a profissional que registrou a ocorrência na 3ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Porto Alegre (DPPA) “por desacato a um funcionário público no âmbito de suas funções e lesões corporais”. Ela sofreu um empurrão por parte do acompanhante. Em entrevista no portal do Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul (SERGS), Daniela destacou que as agressões verbais são as mais comuns, seguidas de ameaças. Há casos de quebras de equipamentos, vidros, portas e computadores.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *