Publicidade

RS – Movimento é criado contra a privatização do Mercado Público de Porto Alegre

  • em


O site “Salve o Mercado Público” reúne informações e colhe assinaturas para reverter a situação, a partir de edital de concessão do espaço pela Prefeitura de Porto Alegre no dia 04 de junho. A proposta prevê a entrega do Mercado para a iniciativa privada por 25 anos, mediante contrato no valor de R$ 81 milhões de reais, sendo que o futuro gestor deverá investir R$ 41 milhões nas reformas do espaço nos três primeiros anos. A proposta definida pelo prefeito Nelson Marchezan foi decidida numa reunião sem a participação dos permissionários do local.

 

Conforme explica o vereador Adeli Sell (PT), autor da plataforma em defesa do espaço na Internet.  Ele protestou no seu Facebook, “que vergonha, Marchezan, no meio da pandemia querer privatizar o Mercado Público”.

 

O Mercado Público Central de Porto Alegre tem 150 anos de história, opera com 106 microempresários, carinhosamente chamados de mercadeiros e emprega mais de 1200 pessoas. Já enfrentou uma enchente em 1941 e quatro incêndios, sendo que no último, em 2013, recebeu a liberação de R$ 23 milhões de reais do IPHAN para sua recuperação total, durante a gestão da então presidenta Dilma Rousseff. Mas somente a metade do recurso foi usada.

 

O IPHAN aguarda um projeto para a liberação do restante da verba. Além disso, a administração do prefeito Marchezan confiscou os recursos que já existiam no Funmercado, destinado ao espaço dentro do Plano Plurianual 2018-2021. Prevê somente para este ano mais de R$ 4,2 milhões de reais com objetivo de investir em operação, manutenção e reforma do Mercado Público Central. As informações e assinaturas em defesa do Mercado Público podem ser acompanhadas no link: https://www.salveomercadopublico.com/    

 

Prefeitura quer entregar o Mercado Público de Porto Alegre por 25 anos à iniciativa privada / Foto: Brayan Martins/PMPA

 

  • Compartilhe