Publicidade

Reverendo que negociou vacinas ilegalmente era filiado ao PSL durante campanha de Bolsonaro

  • em



Acusado de tráfico de influência, Amilton Gomes de Paula consta em documento público da ex-sigla do presidente

 

 

O reverendo Amilton Gomes de Paula, presidente da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), entidade religiosa que tentou intermediar a venda de vacinas contra a covid-19 no Executivo federal, foi filiado ao PSL durante a campanha eleitoral de 2018.

 

 

O atual presidente Jair Bolsonaro foi eleito pela sigla durante o pleito. O reverendo só se desfiliou do partido em abril deste ano, conforme demonstra documento oficial assinado pelo presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), e disponível na internet.

 

 

Em março, uma apuração da Agência Pública de Jornalismo Investigativo mostrou que a Senah, organização evangélica, articulou a aquisição de vacinas com o Ministério da Saúde e ofereceu imunizantes da AstraZeneca e da Johnson & Johson para prefeituras e governos estaduais junto à Davati Medical Supply.

 

 

A reportagem teve acesso à carta encaminhada aos prefeitos e governadores pela Senah na qual a entidade oferece as doses no valor de US$ 11 a unidade, com prazo de entrega de até 25 dias. O valor seria 3 vezes maior que o fechado pelo governo federal para a mesma vacina da AstraZeneca com a Fiocruz, que foi de US$ 3,16, e o dobro do valor do Instituto Sérum, de US$ 5,25.

 

 

O reverendo Amilton Gomes, fundador e presidente da Senah, esteve no Ministério da Saúde no dia 4 de março de 2021, conforme fotos publicadas em suas redes sociais. Na postagem, ele afirma que se reuniu com representantes da pasta “para articulação mundial em busca de vacinas”.

 

 

Na visita, estava ao seu lado o policial militar de Minas Gerais Luiz Paulo Dominguetti, que afirmou à Folha de S. Paulo que o diretor do Departamento de Logística (DLOG) do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, teria cobrado propina para compra de vacinas. Também esteve na visita o major da Força Aérea Brasileira (FAB) Hardaleson Araújo de Oliveira, antigo conhecido do pastor.

 

 

Líder da Senah criou frente parlamentar religiosa 

 

 

O reverendo Amilton Gomes publicou em suas redes sociais fotos com o filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota/RJ) em junho de 2019.

 

 

Em uma outra postagem de maio daquele ano, o religioso comemorou receber uma moção de louvor na Câmara dos Deputados. Recentemente, o pastor apareceu na divulgação da “Conferência Nacional de Liderazgo” ao lado da deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP).

 

 

Amilton Gomes participou ainda da criação da Frente Parlamentar Mista Internacional Humanitária pela Paz Mundial (FremhPaz) junto ao pastor Laurindo Shalom, da Associação Internacional Cristã Amigos Brasil-Israel, e do deputado federal Fausto Pinato (PP-SP), em 17 de setembro de 2019.

 

 

O que é a Senah

 

 

A Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários, que até o ano passado se chamava Secretaria Nacional de Assuntos Religiosos, foi fundada por Amilton Gomes em 1999.

 

 

“Hoje nosso DNA está na cultura pela paz mundial, na fomentação de apoio ao meio ambiente, sempre buscando meios sustentáveis para o desenvolvimento da sociedade harmonizando Homem e Meio Ambiente”, informa em sua página na internet a entidade que tem sede em Brasília.

 

 

Líder da Igreja Batista Ministério da Nova Vista, Amilton Gomes também foi cabo do Exército na década de 1990. Ele publicou imagens do Movimento Cristão Conservador Brasileiro com sua assinatura e sua foto e se apresenta como reitor da Faculdade Batista do Brasil, além de participar da direção de entidades de psicologia, como, por exemplo, a Sociedade de Psicologia do Centro-Oeste.

 

 


(*) Da Rede Brasil Atual com informações da Agência Pública.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *