Publicidade

Regina Duarte deixa a Secretaria de Cultua e quem sai perdendo é a Cinemateca Brasileira

  • em


O presidente Jair Bolsonaro arranjou uma solução para se livrar de Regina Duarte no comando da Secretaria de Cultura do seu governo e ainda deixá-la feliz. Ele deu a ela a chefia da Cinemateca Brasileira, que fica em São Paulo, onde ela reside.

 

Em mais um ato de desdém pela cultura nacional, Bolsonaro nomeou Regina Duarte para ser a responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira. Ela vai substituir Olga Futemma, uma especialista com 36 anos de casa, graduada e mestre em Cinema pela Universidade de São Paulo. Muito respeitada no meio audiovisual, Olga trabalhou na organização do arquivo pessoal de Glauber Rocha.

 

O anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro na manhã desta quarta-feira (20/5), por meio do seu perfil em uma rede social. Segundo ele, a atriz relatou que sente falta da família. Em vídeo que acompanha a publicação na rede social, Regina aparece ao lado de Bolsonaro e afirmou que assumir a Cinemateca é um “presente e sonho de qualquer profissional de comunicação, audiovisual e teatro”. A atriz confirmou que sente falta dos netos e dos filhos, mas que vai continuar auxiliando o governo no novo cargo.

 

Regina Duarte ficou no cargo de Secretária de Cultura do dia 4 de março deste ano até 20 de maio.

  • Compartilhe