Publicidade

Rede Produtos da Terra completa 5 anos e promove consumo consciente

  • em



Iniciativa une produtores/as da reforma agrária, da pequena agricultura e da economia solidária de diversas regiões do Paraná fortalece a prática do consumo consciente em Curitiba  

 

“Essa história começa bem cedinho, antes mesmo de amanhecer. Há quem ainda não imagine como se monta a cesta e a feira que chega até você. Tem terra, água, chão, caminhão e um montão de mãos […]”. Este é um trecho do causo escrito pela militante Adriane Andrade sobre a rede Produtos da Terra, e resume o trabalho coletivo que marca a iniciativa.

Neste mês, a rede comemora 5 anos de aproximação entre consumidores/as de Curitiba (PR) e produtores/as agroecológicos da reforma agrária, agricultores familiares e empreendedores solidários/as.

A “prateleira virtual” do site e as feiras estão recheadas com produtos de todas as regiões do Paraná, e também de cooperativas de outros estados. Entre a diversidade de mais de 200 itens estão alimentos in natura e industrializados como grãos, legumes, verduras, doces, bebidas, panificados e sucos naturais.

Para Ademir Fernandes, integrante do grupo fundador do Produtos da Terra e coordenação da iniciativa, a ação é gratificante, e fortalece a cadeia de produção e comercialização de alimentos saudáveis.

Ademir Fernandes em uma das ações solidárias das quais do Produtos da Terra participa / Foto: Giorgia Prates

“A gente organiza as cestas com alimentos vindos direto dos produtores, e tem todo um carinho do produtor, da equipe que está organizando, e sentimos que também das pessoas que estão recebendo, porque sabe que estão recebendo produtos saudáveis. E queremos que seja um trabalho permanente, e que chegue ainda a muito mais gente”, garante.

Roberto Barbosa é consumidor das cestas desde o início do projeto, e relata a satisfação em ter acesso a este tipo de alimento. “Nossa, como o tempo passa! Cinco anos de comida sem veneno e que eu e minha esposa descobrimos o verdadeiro gosto de verduras, legumes e frutas. É um caminho sem volta, graças ao trabalho e dedicação de vocês. Muito obrigado e parabéns”.

Gestão coletiva e popular 
A marca Produtos da Terra PR é gerida de forma coletiva pela CCA – Cooperativa Central da Reforma Agrária do Paraná e pelo empreendimento Sinergia Alimentos Saudáveis, com participação da Rede Mandala – Rede Paranaense Campo-Cidade de Economia Solidária.

Todos os alimentos comercializados in natura são produzidos sem agrotóxicos / Foto: Nyky Souza

A demanda surgiu quando trabalhadoras/es voluntárias/os do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que distribuiam produtos da reforma agrária para a população em situação de vulnerabilidade, sentiram falta de que suas famílias se alimentassem de maneira saudável e da comida feita com respeito pela terra.

O primeiro formato foi com feiras organizadas semanalmente nas Paróquias São Pedro Apóstolo (localizada no bairro Xaxim) e São José das Famílias (no Sítio Cercado). Os alimentos vinham do Assentamento Contestado, na Lapa.

O marco de criação da articulação é o dia 19 de setembro de 2016, quando se formou o primeiro grupo do Whatsapp para organizar os pedidos e as entregas das encomendas. Em 2017 e 2018, com o aumento da demanda, a logística das cestas se tornou mais complexa. Foi então que o Produtos da Terra ganhou reforço, em 2018, da Cooperativa Central da Reforma Agrária do Paraná (CCA/PR), a qual reúne mais de 20 cooperativas pelo Estado e se relaciona em diferentes regiões do Brasil.

Foto: Nelson Orlando de Andrade

A rede Produtos da Terra propõe o consumo consciente, com respeito às pessoas que integram a cada etapa da produção, e também ao meio ambiente. Sirley Gonçalves Queiroz é integrante da equipe das cestas agroecológicas Produtos da Terra desde 2020, e relata a característica especial do trabalho.

“Tem o significado de acolhimento, é onde se planta e colhe amor, onde pessoas dividem para somar, onde os interesses de todos são importantes. É a ligação de pequenos agricultores até o consumidor final, são as pessoas que acreditam na sustentabilidade do mundo. E onde encontrei pessoas que têm os mesmos ideais que os meus”, afirma.

Os consumidores também são convidados a serem parceiros no projeto, como explica Ademir Fernandes: “Nós temos uma relação de parceria entre os produtores da reforma agrária no campo e as pessoas urbanas que querem alimentos saudáveis. Queremos novas relações com a natureza e a sociedade”. 

Cestas Esperança para enfrentar a fome na pandemia

Como forma de combate à crise e apoio para famílias das periferias, o Produtos da Terra se uniu à União Solidária para atuar em pontos de carência social de Curitiba e Região Metropolitana, com a partilha de alimentos saudáveis e cargas de gás.

Pelo site do Produtos da Terra, além de comprar seus alimentos orgânicos, a/o consumidor pode doar uma Cesta Esperança no valor de R$ 60 para ser entregue pela ação.

Integram a ação o Movimento Dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Sindipetro PR/SC (Sindicato dos Petroleiros), sindicatos, e outros movimentos e organizações sociais.

A ação se soma às inúmeras iniciativas de combate à fome, diante de um contexto de ampliação da crise econômica e social no Brasil. Em pesquisa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), divulgada em abril de 2021, mais de 116 milhões de brasileiros não têm acesso à comida e 19 milhões passam fome. 

Foto: Nelson Orlando de Andrade

Um causo do Produtos da Terra

Em comemoração aos 5 anos do Produtos da Terra, a militante Adriane Andrade, que faz parte da equipe da rede, escreveu o seguinte “causo”:

“Essa história começa bem cedinho antes mesmo de amanhecer

Há quem ainda não imagine como se monta a cesta e a feira que chega até você

Tem terra, água, chão, caminhão e um montão de mãos ..

vou logo lhe contar

Dona Maria e seu José colhem a batata a cenoura e a beterraba

Dona Alzira

A alface couve a escarola e o manjericão

Dona Sandra e Fabiana

O limão ( tem o siciliano. O Taiti e o Rosa), tem a mexerica e a pokan

A laranja o morango e o abacate é seu Pedro que logo cedo colhe e leva pro caminhão

Marta produz gengibre e também o açafrão

Seu Roberto vai passar logo, logo

Junta um tanto aqui outro acolá

Depois carrega o arroz o feijão o fuba

Pão o leite e o café

E também a cachaça camponesa que não pode faltar

O cheiro de verdura fresca é de perfumar o caminhão

A cidade fica logo ali

Já dá para avistar

Eita quanta boniteza tem num dia de colheita

As cores tomam conta e a diversidade de produtos é de encher o coração

Chega, descarrega, separa e prepara e coloca de novo no caminhão…

Para feira e as cestas que vão ser entregues pra um montão de gente que já tá com a água no fogo só esperando o feijão

Há quem diga que se o campo não planta a cidade não janta e não é que é verdade verdadeira…pra ter tanta variedade na mesa precisa de um tantão de mãos…

Obrigado por fazer parte de 5 anos do produtos da terra

Sua mão também é importante”

 

Foto: Nelson Orlando de Andrade

 

 

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *