A notícia-crime apresentada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) no Supremo Tribunal Federal (STF) depois dos discursos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi protocolada nesta quarta-feira (8).

Randolfe anunciou a medida na noite de terça, horas após o presidente se manifestar tanto em Brasília quanto em São Paulo em atos no 7 de Setembro.

O pedido é para seja aberto um inquérito contra Bolsonaro por “sua grave ameaça ao livre funcionamento do Judiciário e pelo uso de recursos públicos para financiar os atos antidemocráticos, na forma da (ainda vigente) Lei de Segurança Nacional”.

Randolfe também quer uma investigação sobre eventual financiamento dos atos e, por fim, outra sobre a utilização indevida “da máquina pública, do dinheiro público, e de helicópteros”, em favor das manifestações.

Discursos do presidente

Bolsonaro afirmou na terça-feira (7), em seu discurso na manifestação pró-governo federal marcada na Avenida Paulista, na região central de São Paulo, que apenas Deus pode torná-lo inelegível. “Quero dizer aqueles que querem me tornar inelegível em Brasília: ‘só Deus me tira de lá’. “Aviso aos canalhas: não serei preso.”

Bolsonaro disse ainda que “qualquer decisão do ministro Alexandre de Moraes esse presidente não mais cumprirá”.

O presidente participava de uma das manifestações que ocorreram no país na terça-feira. Bolsonaro discursou do alto de um carro de som na região central da capital paulista.

Pela manhã, já havia discursado em outro protesto, este na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Do CNN