Publicidade

Randolfe aciona STF para suspender sindicância contra delegado que apura corrupção no MEC

  • em



O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), acionou o STF (Supremo Tribunal Federal) para suspender a sindicância aberta pela Polícia Federal contra o delegado Bruno Calandrine, chefe do inquérito que apura denúncias de corrupção no MEC (Ministério da Educação).

 

Na ação, Randolfe ressalta que “a conduta estatal deve ser impedida sob pena de se produzir mais um caso em que mostra-se que ficar calado é melhor que denunciar”.

 

A abertura da sindicância representa mais “uma perseguição bolsonarista” aos trabalhos realizados por uma instituição que deveria agir com independência, ressaltou o senador.

 

“Uma medida persecutória que é usada claramente com o objetivo de coagir quem investiga o tráfico de influência no governo”, pontuou.




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *