Publicidade

Profissionais da saúde cobram testagem para Covid-19 no Rio Grande do Sul 

  • em


A CUT/RS e a Federação dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde (FESSERS) movem ação judicial para cobrar testagem para os profissionais da saúde das federações patronais dos hospitais gaúchos. Duas audiências de mediação já ocorreram no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-4), em Porto Alegre. Mais uma rodada será realizada na próxima segunda-feira, dia 27 de julho, a partir das 14h.

 

Profissionais da saúde protestaram contra a falta de uma política de testagem para os trabalhadores, em frente ao Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul, em Porto Alegre. A manifestação foi realizada nesta quarta-feira, 22 de julho, em frente a uma unidade que atende centenas de pessoas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) diariamente. Mais de 60 coletas são feitas por dia em pessoas com sintomas de coronavírus e, segundo relatos dos servidores presentes na manifestação, sete trabalhadores testaram positivo.

 

“Sabemos da letalidade desta pandemia, mas infelizmente os governos Marchezan e Leite nos obrigam a fazer um ato e dialogar com a população para denunciá-los por não tratarem com os devidos protocolos os trabalhadores da saúde. Estamos na linha de frente”, destacou o representante da CUT/RS no Conselho Municipal de Saúde, Alberto Terres. Expondo ao risco, além dos profissionais, seus próprios familiares. “Nós precisamos ter uma boa saúde para atender os pacientes que nos procuram”, ressaltou. Mobilizações já foram registradas na frente do Hospital São Lucas da PUC/RS, do Hospital de Clínicas, e da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital São Camilo, no município de Esteio na Região Metropolitana. “Os trabalhadores da saúde estão pedindo socorro para que alguém faça alguma coisa por eles. O índice é muito alto e preocupante. Os governos tiveram tempo para se preparar e nada fizeram”, ressaltou o secretário de Saúde do Trabalhador da CUT/RS, Alfredo Gonçalves.

 

 

 

 

  • Compartilhe