Publicidade

Por um Brasil Cooperativo e Solidário: desenvolvimento e sustentabilidade

  • em



Em 3 julho, 2021, sobre Cooperativismo e Economia SolidáriaUnicopas, por 

 

No mês em que se celebra o Dia Internacional do Cooperativismo, a Unicopas compartilha uma série de experiências que mostram o jeito de fazer cooperativismo solidário

 

 

Todos os anos, no primeiro sábado do mês do julho, é celebrado o Dia Internacional do Cooperativismo. Em 2021, tempo que o Brasil passa por uma das maiores crises econômica e política da história, agravada pela pandemia da Covid-19, a Unicopas (União Nacional das Organizações Cooperativistas Solidárias), resgata a importância do cooperativismo solidário para o Brasil.

 

 

Uma série de relatos de uma cadeia produtiva justa, limpa e inclusiva, irá mostrar que com cooperação e solidariedade é possível retomar o crescimento do Brasil. Um jeito de produzir capaz de gerar desenvolvimento ao mesmo tempo em que promove sustentabilidade e justiça social. Toda semana, uma nova experiência.

 

 

 

 

A campanha de sensibilização ‘Por um Brasil Cooperativo e Solidário: desenvolvimento e sustentabilidade’, destaca experiências cooperativistas feita por trabalhadores para trabalhadores, que estimulam o crescimento econômico ao mesmo tempo em que diminuem os níveis de desigualdade social. A ação faz parte das atividades desenvolvidas pelo projeto ‘Fortalecimento da Rede Unicopas’, co-financiado pela União Europeia.

Mas, você sabe por que o cooperativismo solidário é capaz de gerar desenvolvimento com sustentabilidade?

 

 

Muita gente pode ainda não saber, mas o cooperativismo, quando promovido a partir dos princípios da economia solidária, é considerado uma das principais estratégias para a conquista do desenvolvimento sustentável.

Mas o que é economia solidária?

 

 

É um conjunto de atividades econômicas de produção, distribuição, consumo, poupança e crédito, organizados sob a forma de autogestão. A economia solidária se apresenta como uma alternativa de geração de trabalho e renda, sobretudo às populações mais empobrecidas, a favor da inclusão social.

 

 

Para um empreendimento ser caracterizado como promotor da economia solidária é preciso seguir os princípios da cooperação, da autogestão e da solidariedade. Além disso, as práticas são centradas no ser humano, valorizando a diversidade, o saber e a aprendizagem local, com justiça social na produção e cuidado com o meio ambiente.

 

 

Por isso, o casamento entre o cooperativismo e a economia solidária – o cooperativismo solidário – é uma alternativa estratégica na promoção de um desenvolvimento com sustentabilidade, equidade e justiça social.

 

 

Da Unicopas

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *