Publicidade

Pesquisadores acreditam ter encontrado cura para diabetes

  • em


Antes de tudo quero inicialmente agradecer a todos vocês que semanalmente leem as notícias e que se inspiram em boas ações e atitudes em busca de um mundo melhor. Para o feito de hoje contei com a ajuda de um dos leitores desse espaço que me enviou essa sugestão de pauta, a quem tenho muita gratidão não somente a essa pessoa, mas a todos vocês que curtem, comentam e compartilham.

 

Cientistas da Universidade de Alberta, no Canadá, acreditam ter encontrado uma cura para a diabetes, que é um grupo de doenças que resultam em muito açúcar no sangue (alto nível de glicose no sangue). Graças a um novo processo com células-tronco, a equipe de pesquisa foi capaz de trazer a cura em camundongos, com esperança de que o processo também funcione em humanos futuramente.

 

O principal pesquisador do projeto, Dr. James Shapiro, afirmou à CTV News Edmonton que a equipe foi capaz de colaborar com especialistas de todo o mundo para transformar o sangue do próprio paciente em células produtoras de insulina. “Agora estamos no ponto em que podemos fabricar com segurança células produtoras de insulina a partir do sangue de pacientes com diabetes tipo 1 ou 2. Colocar essas células em camundongos diabéticos e reverter a diabetes até o ponto em que a doença esteja totalmente curada”, disse.

 

De acordo com Shapiro, mais testes serão necessários daqui pra frente antes que possa transferir os testes de animais para as pessoas. “É necessário que haja dados preliminares e que um determinado grupo de pacientes demonstrem ao mundo que isso é possível, seguro e eficaz”.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 422 milhões de pessoas vivem com diabetes no mundo, com 1,6 milhão de mortes atribuídas diretamente à doença a cada ano.

 

Ainda sem cura comprovada cientificamente, o controle do nível de açúcar no sangue por meio de dieta, medicamentos orais ou insulina é o principal tratamento. Também é necessário realizar exames regularmente para verificar a presença de complicações.

 

Aumenta expectativa de vida de brasileiros

 

Claro que esses dados da OMS sobre a diabetes são alarmantes e preocupantes, assim como números mundiais sobre a pandemia da Covid-19, mas uma outra ótima notícia essa semana deve ser comemorada. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta semana que cresceu a expectativa de vida do brasileiro. Em 2019, a taxa subiu para 76,6 anos, enquanto em 2018 era de 76,3. Pode parecer pouco, mas em 1940, por exemplo, a expectativa era de apenas 45,5 anos. Esses números vêm crescendo a cada ano. O brasileiro hoje vive, em média, 30,8 anos a mais do que em meados do século passado.

Wyl Villas Bôas é jornalista e sempre otimista por dias melhores
  • Compartilhe