Publicidade

Pesquisa do Banco Mundial indica que mais da metade dos servidores federais já presenciou atos antiéticos em órgãos públicos

  • em



Mais da metade dos servidores federais (58,7%) já observou algum ato antiético dentro do serviço público. Usar o cargo para ajudar amigos ou familiares e deixar de seguir as regras por pressão de superiores são as práticas mais comuns.

 

 

O achado é da pesquisa “Ética e Exposição à Corrupção no Serviço Público Federal – a Perspectiva dos Servidores”, realizada pelo Banco Mundial em parceria com o governo brasileiro, cujos resultados foram apresentados nesta quinta-feira (11).

 

 

O estudo contou com a participação de 22.130 funcionários de todas as unidades federativas e ministérios, entre abril e maio deste ano.

 

 

No período da crise causada pela Covid-19, a maioria dos servidores disse que as práticas antiéticas permaneceram iguais ou aumentaram. As mais citadas foram interferência política nas decisões do órgão (55,9%) e conflitos de interesse entre os setores público e privado (50,6%).

 

 

Para 22,4% dos funcionários, na pandemia, cresceu o número de decisões sobre contratação e compras feitas com pouca transparência e sem prestação de contas; e para 22,2%, houve alta de atividades de lobby entre os setores público e privado.

 

 

Pelo menos um terço dos servidores (33,4%) disse ter presenciado alguma prática antiética nos últimos três anos.

 

 

Apesar disso, a insegurança ainda é um fator que atrapalha as denúncias de atos de corrupção. Dentre os respondentes, 51,7% disseram não se sentir seguros o suficiente para denunciar uma conduta ilícita.

 

 

A situação muda quando o órgão público tem um programa de integridade e capacita os servidores em uma cultura anticorrupção. Entre os que receberam treinamento, 68% afirmaram se sentir seguros para denunciar atos antiéticos.

 

 

Apoiaram a realização da pesquisa a Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério da Economia e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap).

 

 

 




 

 

SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

O Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB
Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *