Publicidade

Pauta Brasil aborda a crise do diesel e desmonte da Petrobrás e as consequências para o País

  • em



O programa Pauta Brasil desta sexta-feira, 29 de outubro, debateu um tema literalmente caro para a sociedade brasileira: a crise do diesel e todas consequências para uma economia já combalida e com desemprego em alta constante: trata-se, então de um enorme desarranjo? Carla Borges Ferreira, Henrique Jaeger e Juliane Furno falaram sobre a crise do diesel, com mediação de Artur Araújo, da Fundação Perseu Abramo.

 

 

Carla Borges Ferreira é pesquisadora do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep). Ela acredita que precisamos entender o que significa o impacto do aumento do preço dos combustíveis, “nossa logística é toda pautada na questão rodoviária, vai sempre impactar no preço dos produtos e alimentos”, explicou.

 

 

Ela defendeu que “essa política de preços faz parte de um novo projeto para a Petrobras, que é perceptível nos relatórios de gestão, e que pensa a estratégia na redução da capacidade de refino e com isso maior importação. A Petrobras deixou de refinar petróleo e tem também o processo de privatização em andamento”, falou.

 

 

Henrique Jaeger é economista, ex-presidente da Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), e também pesquisador do Ineep. Ele destacou a diferença “brutal entre o aumento na refinaria e na bomba, que cresceu 30%, isso está comprimindo a margem do varejo e da distribuição”, disse.

 

 

“Quando há essa compressão de preços, na primeira oportunidade eles recompõem esse valor. Mas a macroestratégia da Petrobras é o seu desmonte. A empresa está se transformando em uma empresa de petróleo de exportação”, disse Jaeger, que ainda explicou como tem se dado a entrega destes serviços para o setor privado. Sobre os preços praticados, Jaeger disse que “o que diz Bolsonaro não é verdade, que os preços dos combustíveis são definidos em lei, as medidas da Petrobras são tomadas por quem foi indicado por este governo. Há decisões políticas da diretoria que favorecem poucos setores da sociedade”, falou, lembrando que não estamos falando daqueles que não conseguem pagar o preço do botijão de gás e voltaram a cozinhar com lenha.

 

 

Juliane Furno é doutora em desenvolvimento econômico pela Unicamp e falou sobre a história da Petrobras e “a contradição entre ser uma empresa estatal e compromissada com o próprio capitalismo brasileiro, mas que nasce com capital misto. A política determinou muito os investimentos feitos na cadeia produtiva”, incluindo a descoberta do pré-sal.

 

 

As questões ligadas ao “pêndulo, entre ser empresa estatal e privada e os interesses do mercado” foram comentadas por Juliane Furno. Atualmente o pêndulo está voltado para os interesses dos acionistas privados. Ela também comentou os danos causados pela Lava Jato, que associou a imagem de corrupção à empresa e levou à paralisação de investimentos e à crise de toda a cadeia produtiva de petróleo e gás.

 

 

Desinvestimento, lucros das grandes produtoras de petróleo, vinculação de preços ao mercado internacional, desmonte da Petrobras, retirada de setores estratégicos, logística e as decisões políticas que afetam esse tema foram debatidos no Pauta Brasil. Assista a íntegra do programa aqui.

 

 

 

 

Sobre o Pauta Brasil

 

Pauta Brasil recebe especialistas, lideranças políticas e gestores públicos para discutir os grandes temas da conjuntura política brasileira. Os debates são realizado nas segundas, quartas e sextas-feiras, sempre às 17h, e serão transmitidos ao vivo pelo canal da Fundação Perseu Abramo no YouTube, sua página no Facebook e perfil no Twitter, além de um pool de imprensa formado por DCM TV, Revista Fórum, TV 247 e redes sociais do Partido dos Trabalhadores.

 

O novo programa substitui o Observa Br, programa que era exibido nas quartas e sextas-feiras, às 21h. Clique aqui e acesse a lista de reprodução com os 66 programas.

 

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *