Publicidade

Senador Paulo Paim quer seguro-desemprego pago até o fim da pandemia

  • em


O senador Paulo Paim (PT-RS) defendeu em pronunciamento nesta quarta-feira (22/4) a criação de uma nova modalidade de seguro-desemprego emergencial que poderá ser pago por três meses ou até o fim da calamidade pública decretada em virtude da pandemia de covid-19.

 

O benefício, que está previsto no PL 1.449/2020, do próprio senador, também abrange os microempreendedores individuais e ajusta o valor a ser pago para até R$ 2.870, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

 

Paim ressaltou que a crise é gravíssima e que o desemprego é “uma bomba prestes a explodir”. A taxa de desemprego, segundo o senador, está em 12,5% e pode alcançar 17,8% de acordo com cálculos da Fundação Getúlio Vargas, ou até mesmo 24%. Ele questionou como fica a sobrevivência das famílias atingidas pelos efeitos da pandemia, que pode chegar direta ou indiretamente a mais de 100 milhões de pessoas.

 

— O Brasil tem que agir rápido e garantir o seguro-desemprego para todos. É uma questão de solidariedade e humanidade, políticas humanitárias. Temos que salvar vidas. O desemprego é cruel. Ele não pode matar. O vírus está aí, nos matando. A nossa gente está enfrentando um inimigo invisível. Agora vem a fome. São dois inimigos! — alertou.

 

Paulo Paim reforçou que o momento é de solidariedade e de esquecer o debate ideológico para que prevaleçam as políticas humanitárias. Por isso, fez um apelo para que aqueles que já conseguiram receber o auxílio emergencial de R$ 600 ajudem os que ainda não conseguiram fazer o cadastro na Caixa Econômica Federal para que possam ser atendidos.

  • Compartilhe