Caracas (Prensa Latina)

O candidato à Assembleia Nacional (AN) do partido de oposição Soluções para a Venezuela, Claudio Fermín, reconheceu hoje que as eleições parlamentares têm todas as garantias para que os cidadãos possam exercer o direito de voto.

 

 

‘Nós, venezuelanos, temos que chegar a um entendimento (…) Vale a pena sentar-se para legislar, e isso significa responder às necessidades do povo’, destacou o líder da oposição.

 

Lembrou que foram realizadas diversas reuniões com integrantes das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas, responsáveis pelo Plano da República, os reitores do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) e os partidos políticos, nas quais foram discutidos diversos temas que foram superados.

 

‘Sinto que há garantias nas eleições’, reiterou e referiu que a atual Assembleia Nacional é uma espécie de clube de deputados que se reúne para falar entre si e em cinco anos não se dedicam a legislar.

 

Exortou o povo a votar e sublinhou a importância do exercício desse direito porque as leis ou acordos aprovados no Parlamento são questões de ordem pública e afetam a todos.

 

Entretanto, a presidente da CNE, Indira Alfonzo, declarou prontas todas as condições para a realização das eleições legislativas de 6 de dezembro.

 

Durante o desenvolvimento da auditoria de pré-despacho às urnas eletrônicas, realizada este domingo nos armazéns da CNE localizados em Filas de Mariche, estado de Miranda, o proprietário destacou a verificação da transparência de cada etapa do calendário pelas entidades política e observadores.

 

‘Está tudo pronto (…) para que no dia 6 de dezembro elegemos os parlamentares da Assembleia Nacional (Parlamento unicameral), fizemos o trabalho atribuído com disciplina e responsabilidade’, afirmou Alfonzo em declarações aos meios de comunicação.

 

As autoridades eleitorais da Venezuela ordenaram a realização de mais de 15 auditorias em cada uma das etapas do processo eleitoral, a fim de garantir a legitimidade dos resultados emanados das urnas.