Publicidade

Ômicron: Brasil registra primeiros casos da subvariante BA.2

  • em



 

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro confirmou dois casos da cepa, totalizando quatro casos no País. A Ásia e a Europa já registram um aumento de casos de covid-19 provocados pela BA.2.

 

 

Cientistas suspeitam que a subvariante da ômicron seja ainda mais transmissível do que as anteriores. Um estudo realizado por cientistas da Dinamarca apontou para o fato de que essa subvariante é 33% mais infecciosa que a cepa predominante no mundo, a BA.1.

 

 

Não está claro onde a BA.2 surgiu, porém, a mutação foi detectada, inicialmente, na Austrália, África do Sul e Canadá.

 

 

Até agora, a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que a BA.1 é a responsável pela maior parte de contaminações com a variante ômicron, mas, a BA.2 tem ganhado terreno e se espalhando rapidamente pelo mundo.

 

No Reino Unido, foram detectadas nas primeiras semanas de janeiro centenas de casos. EUA, Dinamarca, França, Nepal e Índia já detectaram a cepa em casos de covid-19 registrados recentemente.

Mais perigosa?

 

 

A pergunta mais importante quando se fala de uma nova variante ou sublinhagem é sobre o perigo para a saúde pública, porém, ainda não se sabe sobre a virulência desta linhagem.

 

 

Um estudo realizado por cientistas da Dinamarca apontou que a subvariante BA.2 é mais contagiosa que a ômicron “original” (BA.1). O levantamento concluiu que as pessoas infectadas com a subvariante BA.2 tinham 33% mais chance de infectar outras pessoas, em comparação com as infectadas com BA.1.

 

 

Porém, mais estudos ainda são necessários para entender melhor as propriedades de BA.2, incluindo avaliações comparativas entre a BA.2 e a BA.1 para descobrir características-chave como escape imune e virulência no organismo. Até o momento, nenhum novo sintoma foi identificado.

 

 

Autoridades de saúde dinamarquesas informaram que, em análises iniciais, não foi observado um aumento no número de hospitalizações pela BA.2 em comparação com a BA.1. No entanto, o número de contaminações e mortes continua em alta no mundo e no Brasil, ou seja, qualquer variante da covid-19 é altamente perigosa e letal.

 

 

A ciência médica ainda estuda esse novo coronavírus e suas variantes e, embora existam estudos em pleno avanço, ainda não se sabe o suficiente para impedir contaminações e mortes. Portanto, diante da inoperância propositada de governos negacionistas, como o do Brasil, é preciso que as pessoas, por sua própria conta, mantenham o distanciamento social e o uso ininterrupto de máscaras.

 

 

No entanto, isso não se vê mais no Brasil. Por isso que o País voltou a ter mais de mil mortes por covid em 24 horas e o número continua crescendo.

 

 

Com edição do Jornal Brasil Popular

 

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.

 

 

Você pode nos ajudar aqui:

 

 

Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

 

 

BRB

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

 

 

→  PIX:23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

 

 

📷 Instagram

🎞️YouTube

📱Facebook  

💻Site

 

 

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

 

 

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *