Publicidade

O mito da segurança pública

  • em



Sob o pretexto de repressão ao crime organizado, assistimos, ano após ano, a escalada de morticínio promovida pelas alegadas forças de segurança pública. A última ação terrorista das polícias contra a comunidade da Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, deixa um saldo de pelos menos 26 mortes contabilizadas até agora.

 

 

Nunca houve política de segurança no Brasil. Especialmente, quando falamos de segurança da população negra. De 1500 a 1888, o Estado lucrou dispondo dos corpos negros. Ato contínuo, ao decreto da falsa abolição, o Brasil constitui seu primeiro Código Penal (1889). Um código penal racista, cujo principal objetivo era reprimir e encarcerar afrodescendentes.

 

 

Cento e trinta e três anos se passaram desde a edição desse primeiro Código Penal e o Brasil continua lucrando, perseguindo e assassinando os brasileiros de pele preta. O genocídio do povo negro e indígena é, sem dúvida, a política de Estado mais constante e bem-sucedida deste País. Uma política de extermínio que atravessou, intocada, o período colonial, passando pela República e pelos os sucessivos golpes de Estado.

 

 

Se é verdade que, enquanto houver racismo não haverá democracia, também é verdade que, enquanto não acabar o genocídio da população negra, falar em política de segurança pública é pura hipocrisia.

 

 

As vidas perdidas e os danos materiais e simbólicos promovidos por essa guerra interna entre Estado e população negra são, hoje, como eram antes, os combustíveis que alimentam as hordas do fascismo crescente no Brasil.

 

(*) Por Daniel Kibuku, secretário de Combate ao Racismo do PT, Tata Kambono da Nzo Ana Nzambi, Casa de Candomblé de Angola, Águas Lindas de Goiás.

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *