O Distrito Federal, que está na 19ª posição no ranking dos estados que mais vacinam, apresentou os primeiros casos da variante Delta da Covid-19 nesta semana. Agora, seis cepas circulam no DF. De acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira (23) pela Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), foram registrados 868 novos contágios e 12 mortes nas últimas 24 horas. O número de contaminação subiu 68% e de óbitos caiu 41%. Ao todo, 9.538 pessoas perderam a vida em Brasília, que até aqui, apresenta taxa de letalidade de 3,6%.

 

 

Em todo o País, 1.286 pessoas perderam a vida e 106.181 brasileiros foram infectados nas últimas 24 horas, segundo levantamento feito pelo Consórcio de Veículos de Imprensa e divulgado hoje. Ao todo, 548.420 pessoas morreram por Covid-19 e 19.630.273 brasileiros foram infectados com o novo coronavírus. A atualização do boletim do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), desta sexta (23), por sua vez, dá conta de que, nas últimas 24 horas, foram 1.324 mortes e 108.732 novos infectados confirmados em todo o País. Os números do Conass indicam também que esta sexta foi o segundo maior dia de novos registros da doença desde o começo da pandemia. O primeiro foi no dia 23 de junho, quando 115.228 pessoas receberam resultado positivo.

 

 

Embora o número de mortes no DF tenha apresentado redução de mais de 40% nas últimas 24 horas, por outro lado o número de contaminados aumentou quase 70%, o que pode resultar num maior número de óbitos nas próximas semanas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o grau de transmissibilidade da variante Delta pode ser até 100% maior do que a cepa brasileira dominante no País, a Gama.

 

 

No dia em que o Mané Garrincha foi reaberto ao público para Flamengo e Defensa y Justicia, pela Copa Libertadores da América, na quarta-feira (21), a SES-DF confirmou que seis pessoas foram contaminadas com a nova cepa Delta. Segundo reportagem do DF-TV, o GDF chegou a reeditar decreto para que a partida com público, que estava sendo questionada na Justiça, fosse realizada. Mais de 5 mil pessoas assistiram o jogo no estádio.

 

 

De acordo com a SES-DF, as pessoas infectadas com a nova variante Delta, de origem indiana, são três homens e três mulheres, com idades de 20 a 59 anos. Eles moram em Planaltina, Santa Maria e no Plano Piloto. Todos estão em casa, segundo o GDF.

 

 

A presidente do Conselho de Saúde no DF, Jeovânia Rodrigues, chama atenção para alto poder de transmissão e de agressividade da variante Delta. De acordo com ela, a sucessão de erros no enfrentamento da Covid-19 tem resultado na maior tragédia humanitária de todos os tempos.

 

 

“Temos uma estratégia de enfrentamento à Covid-19 repleta de equívocos. Desde a descontinuidade do auxílio emergencial, ações descoordenadas do Ministério da Saúde, que não conseguiu implementar, de forma bem sucedida, uma vigilância epidemiológica ativa. Sem testagem em larga escala, sem amplo rastreio de contatos e sem conseguir mitigar a cadeia de transmissão do vírus, culminando com a demora na aquisição de vacinas e na vacinação, no país que já foi referência mundial na área. O resultado é mais de meio milhão de vítimas em nossa maior tragédia humanitária”, aponta Jeovânia.

 

 

Apesar da chegada da variante Delta, o GDF não retomará medidas restritivas para conter o avanço da nova cepa. Foi o que afirmou o secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, em coletiva de imprensa. “Por enquanto, não há nenhuma medida ou mudança nas determinações que, hoje, estão em vigor”, disse.