Publicidade

No Maranhão, medidas restritivas são prorrogadas até maio

  • em


O governador do Maranhão, Flávio Dino, prorrogou hoje as medidas restritivas em São Luís e nos outros municípios da ilha, em decorrência da epidemia de covid-19.

 

As atividades econômicas não essenciais permanecem suspensas até 05 de maio, enquanto as aulas nas redes pública e particular continuam suspensas até 12 de maio. Nos municípios do interior, o funcionamento de atividades econômicas e de escolas ficam na responsabilidade dos respectivos prefeitos.

 

Na entrevista coletiva em que anunciou as novas medidas, o governador disse que a taxa de letalidade da covid-19 no Maranhão vem apresentando uma “queda consistente”, tendo passado do máximo de 9,77% no último dia 05 de abril para os 3,33% de óbitos verificados ontem. O número de mortos em decorrência da epidemia era de 54, ontem.

 

O chefe do Executivo do Maranhão atribui a queda na taxa de letalidade aos investimentos que vêm sendo feitos no setor saúde e ao “trabalho sério” dos profissionais. De anteontem para ontem, foram incorporados à estrutura hospitalar exclusiva ao combate da pandemia 29 leitos de terapia intensiva, que passaram de 132 para 161, todos no interior.

 

Já os leitos clínicos deram um salto de 120 para 403. As novas vagas se distribuíram entre São Luís e municípios da parte continental do Estado. Na capital, passaram de 80 para 235 e, no interior, foram de 40 para 168.

 

A Secretaria de Estado de Comunicação e Articulação Política informou que ainda esta semana mais 27 leitos de UTI serão postos em funcionamento na capital e outros 50 leitos ambulatoriais serão disponibilizados no Hospital Nina Rodrigues, também em São Luís. O Estado alugou um hospital particular, o São José, no centro da cidade e, nas próximas semanas ele oferecerá outros novos 50 leitos também exclusivos para pacientes com a covid-19.

  • Compartilhe