Publicidade

‘Ninguém quer volta do passado. Queremos construir uma relação de trabalho moderna’, diz Lula

  • em



Em entrevista a rádio de Tocantins, ex-presidente defendeu investimentos em Ciência e Tecnologia para recuperar a indústria e reafirmou que Bolsonaro não tem política de desenvolvimento para o país

 

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que a não quer a “volta ao passado” ao defender a revogação da “reforma” trabalhista. Em entrevista nesta terça-feira (19) à Rádio Conexão 98 FM, do Tocantins, ele destacou que pretende construir relações de emprego que levem em conta as transformações do mercado, mas que preserve a dignidade das condições de trabalho. “Fui dirigente sindical e sempre briguei contra uma reforma trabalhista que destruísse os direitos conquistados. Ninguém quer de volta o passado, mas queremos construir uma relação de trabalho moderna, que respeite o direito de trabalhadores”.

 

 

Neste sentido, Lula também criticou o presidente Jair Bolsonaro pela ausência de uma política de desenvolvimento para o país. E defendeu principalmente os investimentos em Ciência e Tecnologia como forma de recuperar a indústria brasileira e os empregos com qualidade e dignidade. “Para construir um país industrial, você precisa investir em ciência e tecnologia. Em educação. Só em Tocantins fizemos 11 escolas técnicas em 11 cidades diferentes. E isso está acabando porque não tem mais investimento”, afirmou o ex-presidente.

 

Lula confirmou que pretende anunciar a sua pré-candidatura em 7 de maio, e depois deve percorrer o Brasil. “O país precisa de paz, de alguém que faça uma discussão madura, sobre desenvolvimento, sobre emprego, futuro. Não de um presidente que não conversa com ninguém”.

 

Gasolina e gás

 

Ele também voltou a criticar a política de preços da Petrobras, que, desde 2016, dolarizou o preço dos combustíveis no mercado interno. Além disso, Lula defendeu que o gás de cozinha “precisa entrar na cesta básica”. “O Brasil não tem necessidade de estar com preços vinculados ao dólar. Em 2008, com a crise financeira mundial, o barril do petróleo chegou a 147 dólares, mas o litro da gasolina no Brasil custava apenas R$ 2”, ressaltou.

 

Sobre as eleições de 2022, Lula disse que não se encanta, nem se entristece com pesquisas. Disse não acreditar no surgimento de uma “terceira via”, e prevê, assim, uma disputa polarizada entre ele e o atual presidente. “A polarização sempre existiu”, frisou. Por outro lado, ele também afirmou que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, cotado como seu vice, vai ajudá-lo “a consertar esse país”.

 

 

(*) Por Tiago Pereira, da RBA




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *