Publicidade

Nada a Comemorar no 1º de Maio: centrais pregam unidade para 2022

  • em


Vida, emprego e democracia foram os temas escolhidos pelos sindicalistas para o Dia do Trabalhador. Centrais pedem vacina para todos, e querem frente política para eleições de 2022

 

“Estamos vivendo um conjunto de pandemias”. Assim definiu o metalúrgico Sérgio Nobre, presidente da Central Única dos Trabalhadores – CUT, ao falar esta semana que antecede o dia 1º de Maio Unificado, sobre o tema escolhido pelas nove Centrais Sindicais: Democracia, Emprego e Vacina para Todos. Este também é o entendimento de Ricardo Patah, da UGT – União Geral dos Trabalhadores, argumentando que “o Brasil não pode continuar vivendo com as pandemias do coronavírus, da fome e do desemprego”.

 

Com o país mergulhado em crise de governo, acumulando recordes negativos na economia (6,1 Inflação acumulada), no trabalho (14% desemprego) e na saúde (400 mil mortes), a data comemorativa do Dia do Trabalhador, tem muito pouco a festejar. Mesmo assim, as entidades buscam fortalecer a luta, na unidade e na resistência, criando as condições necessárias para a retomada da democracia no país e pautaram a luta em três pontos: Vacina para todos; Auxilio Emergencial de 600 reais; Emprego e Democracia, segundo Ricardo Patah, da UGT.

 

Para além do tema central, o ponto positivo comemorado é a unidade do conjunto das nove Centrais que querem a formação de uma Frente Única, que reúna os partidos e entidades representantes da classe trabalhadora para a disputa eleitoral de 2022. Nesse sentido, foram convidados para o ato “virtual”, lideranças políticas, de movimentos culturais e sociais, e contará com a presença dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique e Dilma Rousseff.

 

Pelo segundo ano seguido, o 1º de Maio – Dia Internacional do Trabalhador – será comemorado num ato virtual, que será transmitido pela TVT – TV dos Trabalhadores, reunindo as diversas centrais sindicais que escolheram para este ano de pandemia em que o Brasil atinge o patamar de 400 mil mortes, o tema: 1º de Maio pela Vida – Democracia, emprego e Vacina para todos. CUT, Força, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública farão o 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais em live, que será transmitida, a partir das 14h, além da TVT – , também pelos canais do Youtube e redes sociais dos Movimentos Sindicais.

 

“O flagelo do desemprego e o genocídio da pandemia”, segundo o sindicalista, agravam o cenário de uma população que volta ao maior grau de pobreza. Hoje são mais de 20 milhões no “mapa da fome”, sem ter o que comer, sem perspectiva. São 13,4 milhões de pessoas na fila por um emprego – segundo dados oficiais do IBGE -, uma taxa de informalidade de mais de 41% e cerca de 5.5 milhões de jovens em desalento, que perderam a esperança de procurar emprego. “A juventude sonha com um mundo melhor, mas este país não tem futuro sob Bolsonaro”, sentencia Sérgio Nobre.

 

Com os impactos da pandemia, a situação se agrava ainda mais pela crise na saúde, sem vacinas, sem insumos e sem remédios. São mais de 15 milhões de casos de infectados e mais de 400 mil vidas perdidas. Para Ieda Leal, do CNTE, a solidariedade também é fundamental, em tempos de pandemia, com a volta da fome e a carestia no preço dos alimentos, e de mais um golpe do governo Bolsonaro, que retirou 1.3 milhões da Agricultura Familiar para a produção de alimentos, a solidariedade torna-se um ponto de apoio para famílias carentes, pequenos proprietários e artistas desempregados.

 

Ato Festivo Virtual

 

O diferencial deste ano será a presença dos presidentes das centrais em estúdio, de onde farão seus discursos. O programa será ancorado pela cantora e apresentadora Ellen Oléria, que comanda o Estação Plural, na TV Brasil. Também no estúdio, a atriz, cantora paraibana Lucy Alves fará a apresentação artística que encerrará o 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais. O ato tem previsão de três horas de duração com falas dos dirigentes sindicais das nove centrais. Os ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso, parlamentares e lideranças partidárias e de movimentos sociais, além de entidades sindicais internacionais e representantes de diferentes religiões, também participarão do 1º de Maio organizado pelas nove centrais sindicais.

 

O ato terá do youtuber Spartacus ao professor e filósofo Silvio Almeida. As falas das lideranças sindicais, políticas e sociais serão intercaladas por apresentações e depoimentos de artistas sobre o tema deste ano – Vida, Democracia, Emprego, Vacina para Todos. Elza Soares, Chico César, Tereza Cristina, Delacruz, Johnny Hooker, Marcelo Jeneci, Odair José, Aíla, Bia Ferreira e Doralyce, Fábio Assunção e Osmar Prado, entre outros.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *