Publicidade

Municípios do RS enfrentam nova alta de contaminações por Covid-19 e UTI lotadas

  • em



Diversas flexibilizações no Rio Grande do Sul, como o retorno de aulas presenciais, agravaram a pandemia na região, levando os municípios a enfrentarem nova alta no número de contaminações por Covid-19 e superlotação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI)

 

O chefe do Serviço de Infectologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Eduardo Sprinz, afirma que, no atual contexto da pandemia do novo coronavírus, “na maior parte do nosso País, os casos novos se estabilizaram, mas eles se estabilizaram com níveis muito parecidos com os do ano passado, quando a gente estava no pico, isto é, um perigo, uma ameaça, isso não é legal. A gente junta a isso a não proteção das pessoas, até pelo negacionismo, que sim, grande parcela da população está sendo negacionista”.

 

 

Ele fez o alerta num vídeo publicado no seu Instagram, no domingo (23). Segundo ele, as flexibilizações levaram ao grande aumento na mobilidade dos brasileiros. “A gente tem de lembrar que o vírus está com as pessoas. Quanto mais as pessoas se locomovem, quanto mais se mexem, mais elas levam o vírus de um lado para outro”, explicou. Para completar, Sprinz também destaca que a vacinação contra a Covid-19 chegou a uma pequena parte da população brasileira: “Até o momento, apenas, e infelizmente apenas, 10% da população completou o esquema vacinal, com as duas doses do imunizante”, lamentou.

 

O número de contaminações por Covid-19, no Rio Grande do Sul, na segunda-feira (24), estava em 1.060.775 e, o número de mortes, em 27.468. A taxa de ocupação de leitos de UTI voltou ao patamar crítico,  com 82,4%.

 

O governo gaúcho extinguiu o Modelo de Distanciamento Controlado, substituindo por um sistema de alertas para cidades e regiões, para adotarem medidas restritivas como forma de conter a elevação no número de contaminações. O sistema 3As (Aviso, Alerta e Ação).
Uma dessas situações está localizada em Cachoeira do Sul, no centro do estado. Houve aumento exponencial no número de casos, com 483 casos novos e seis mortes somente na segunda-feira (24). O único hospital da cidade que atende a toda a região, o Hospital de Caridade e Beneficência, está com taxa de ocupação de leitos em 150%.

 

A administração municipal adotou medidas restritivas, também nesta segunda, como a suspensão das aulas presenciais e de outras atividades econômicas para diminuir a circulação de pessoas. O comércio essencial e não essencial poderá funcionar das 8h às 23h somente na modalidade de tele-entrega. Está proibido o sistema de pegar e levar, atendimento na porta ou qualquer formato de atendimento presencial. No sábado (22), o governo gaúcho emitiu quatro novos avisos para os municípios de Porto Alegre, Canoas, Guaíba, Novo Hamburgo e Capão da Canoa.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *