Publicidade

Mulheres da saúde contam sua dura jornada de trabalho em cartilha lançada pela Fessers

  • em


Cartilha “Mulheres da saúde e a dura vida nas jornadas reversas” é lançada pela Federação dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul  (Feessers) direcionada para as mulheres trabalhadoras da área da saúde. A luta das profissionais, a excessiva jornada de trabalho, os avanços no mercado de trabalho e a ação das entidades sindicais na busca por mais direitos para as trabalhadoras. As mulheres representam 70% do setor da saúde no Brasil, segundo pesquisa da Fiocruz.

 

A dupla jornada de trabalho é a realidade de muitas mulheres, fazendo com que precisem conciliar afazeres domésticos e trabalho formal remunerado. De acordo com pesquisa do IBGE, a jornada média feminina, incluídos o trabalho, as tarefas em casa e o cuidado de pessoas como filhos, ocupa 53,3 horas semanais. Elas trabalham 3,1 horas a mais do que a dos homens, considerando o tempo dedicado ao emprego e ao cuidado da casa e de seus moradores.

 

A proposta da cartilha além de informar, é também orientar as profissionais nas questões relacionadas ao trabalho como também nas de saúde física e emocional. Por meio de depoimentos, a Federação busca formular ações para transformar as relações de trabalho, promovendo o fim das discriminações e a igualdade de gênero no mercado de trabalho. Leia a cartilha, clicando no link https://drive.google.com/file/d/1k_CSxK8jx5qQR9nLuH-FFk6HxnUIL4a9/view?fbclid=IwAR27cOceJwUbwlEgfVEHaWHHPKE5jjOnAxFzTaXjCFxb1k4dUb3NfTs_I0o

 

 

 

  • Compartilhe