Publicidade

Movimento anti-bloqueio dos EUA exige respeito pela soberania de Cuba

  • em



O Movimento Global Anti-Bloqueio contra Cuba, conhecido como NEMO, repudiou hoje qualquer tentativa de ‘golpe suave’ e um ataque à soberania do país caribenho e condenou a posição do governo dos EUA.

 

A situação de escassez de alimentos e remédios é a consequência direta de 62 anos de cruel bloqueio, diz uma declaração enviada à Prensa Latina por Manuel Tejeda e José Oro, da diretoria da organização, que tem mais de 100.000 membros.

NEMO -No Embargo Cuba Movement- – lembrou que este cenário é agravado pelas 243 sanções adicionais, impostas pelo ex-presidente Donald Trump (2017-2021) e covardemente mantidas por Joe Biden durante uma pandemia feroz.

O grupo deixou claro que esta situação é a causa principal dos distúrbios que levaram aos recentes tumultos na ilha, que foram financiados, orquestrados e manipulados por agências governamentais dos EUA e organizações de extrema-direita em Miami.

Aqueles que encorajam tais eventos visam provocar mais contágios Covid-19, mais desespero e transmitir a imagem errada de caos e ‘falta de controle’ que lhes permitirá justificar uma invasão militar de Cuba sob fins supostamente ‘humanitários’, sublinha o texto.

Os ativistas anti-bloqueio também condenaram o papel assumido pela administração Biden, a cumplicidade do Departamento de Estado e a colaboração da mídia, que publica vídeos adulterados, numa tentativa de confundir a opinião pública internacional.

Estas provocações são um ataque direto à soberania do povo cubano e seu governo legítimo, que foi ratificado por mais de 86% dos votos expressos em um referendo livre quando a nova constituição foi aprovada há apenas dois anos, diz a declaração.

O Movimento denunciou a poderosa campanha de desinformação para fazer as pessoas acreditarem que o governo da ilha não aceita ajuda humanitária, ‘quando isto é uma mentira vulgar, porque o que não aceita é ‘ajuda’ condicionada, manipulada e ignorante das leis do país’.

‘Em momentos como este, ou você é contra Cuba e a Revolução Cubana, ou você está com Cuba e sua Revolução, NEMO é a favor desta última: alto, claro e forte’, concluiu ele.

O Movimento Global Anti-Cuba Blockade surgiu como um projeto humanitário que procura educar os americanos sobre a origem, a crueldade, as consequências e os efeitos do cerco econômico, financeiro e comercial imposto pelos governos democrata e republicano por mais de seis décadas.

Desde 24 de novembro de 1992, a Assembleia Geral da ONU tem se manifestado todos os anos contra a medida coercitiva, refletida em uma votação quase unânime a favor do levantamento do bloqueio.

Em 23 de junho, esta política hostil e unilateral foi rejeitada por 184 dos 193 países-membros, com apenas os Estados Unidos e Israel votando contra e Brasil, Colômbia e Ucrânia se abstendo.

Da Prensa Latina

mgt/dfm/bm/gdc

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *