Publicidade

Moro e Dallagnol envolvidos na negociata da Delação Premiada mais cara no mundo: U$ 5 milhões!

  • em


US$ 5 milhões o advogado da Lava Jato, chefiada então pelo juiz Sergio Moro e o procurador, Dallagnol, pediu por fora, no português claro, de propina, ainda tinha perdão de US$ 10 milhões de multas da Odebrecht.

 

Eu não sei o que é mais grave os US$ 5 milhões  “por fora”, ou o perdão da multa de US$ 10 milhões, pois este se trata de dinheiro público.

 

O advogado da Lava Jato da negociata é Carlos Zucolloto Junior, compadre de casamento de Moro e ex sócio de sua esposa Rosangela Moro.

 

O advogado da Odebrechet que denunciou a falcatrua em entrevista a Folha de São Paulo é Rodrigo Tacla Duran. Zucoloto em troca lhe oferecia a prisão domestica e o perda da divida da Odebrecht.

 

Sergio Moro quando soube da entrevista de Duran virou uma fera: Chamou Duran de aventureiro e fora da lei. Queria prender a jornalista da Folha, Monica Bergamo (3).

 

Mas foi a revista Veja com base em informação da Receita Federal que arrematou: Duran fez deposito na conta da esposa de Moro, Rosangela Moro. Moro desmascarado não perdeu a pose e sem dizer o montante disse que o dinheiro do deposito foi para pagar copia de processo de Duran (4 a 7).

 

Você sabia que os principais ladrões da Petrobrás presos pela Lava Jato estão em suas casas verdadeiros clubes de lazer construídos com dinheiro da roubalheira? Fico imaginando quanto eles pagaram “por fora” ou de propina a Lava Jato:

 

São eles o diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, o presidente da Transpetro, Sérgio Machado, o doleiro, Alberto Youssef, o caixa do PMDB, Fernando baiano, entre outros (1).

 

E agora o PGR, Antonio Aras, convoca Tacla Duran para celebrar delação premiada. Pasmem! Diante dessa convocação a atual chefe da Lava Jato, Gabriela Hardt, também conhecida como juíza do copia-e-cola, manda levantar o sigilo de uma investigação contra Rodrigo Tacla Duran, a pedido da força-tarefa da Lava Jato, no MPF.

 

Isso irritou o gabinete do procurador-geral da República. Antonio Aras, que viu nessa investigação, logo agora contra Duran, como uma tentativa de intimidá-lo, levando-o a recuar na negociação de uma delação premiada (2).

 

Quem sabe com a delação premiada de Rodrigo Tacla Duran finalmente vamos ver cumprida a proposta do Conselho Nacional da OAB que por unanimidade diante da montanha de denuncias do The Intercept Brasil, inclusive com áudios, pediu o afastamento de Moro e Dallagnol de cargos públicos para que tivessem um julgamento justo. Mas infelizmente eles continuaram a conspirar contra o Brasil e a Petrobrás.

 

Ou quem sabe a justiça atenda ao pedido do Coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia (CAAD) que pediram a prisão preventiva do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, além dos procuradores federais Deltan Dallagnol, Laura Gonçalves Tessler, Carlos Fernando dos Santos Lima e Maurício Gotardo Gerum(8).

__________________________________________________________________________________

Fonte: 1 – https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/politica/2016/07/delatores-cumprem-prisao-domiciliar-em-mansoes-e-coberturas.html

2 –  https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/pgr-ve-decisao-de-gabriela-hardt-sobre-tacla-duran-como-tentativa-de-intimidacao/

3 – https://blogdacidadania.com.br/2019/07/moro-queria-prender-jornalista-monica-bergamo/

4 – https://www1.folha.uol.com.br/paywall/login.shtml?https://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/08/1913355-advogado-acusa-amigo-de-moro-de-intervir-em-acordo.shtml

5- https://noticias.uol.com.br/reportagens-especiais/tacla-duran-paguei-para-nao-ser-preso-na-lava-jato/

6- https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2017/09/nassif-mulher-de-moro-recebeu-pagamentos-de-investigado-na-lava-jato/

7- https://veja.abril.com.br/blog/radar/moro-poderia-ser-impedido-de-julgar-ex-advogado-da-odrebecht/

8 – https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-06-16/grupo-de-advogados-pede-prisao-preventiva-do-moro-dallagnol-e-outros-tres.html

9 – https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,oab-recomenda-por-unanimidade-afastamento-de-moro-e-deltan,70002864190

 

Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, é ex-presidente do Sindipetro-RJ, fundador e ex-diretor do Comando Nacional dos Petroleiros, da FUP e fundador e coordenador da FNP, ex-diretor Sindical e Nacional do Dieese.

 

  • Compartilhe