Publicidade

Missão parlamentar e de agricultores do RS busca apoio do governo federal para problema da seca

  • em



Em Brasília, deputados petistas relatam que governo federal não tem vontade política nem propostas para enfrentar a estiagem no RS

 

 

Uma Missão Oficial da Assembleia Legislativa cumpriu agendas, nesta terça-feira (15), em Brasília para reivindicar medidas governamentais para o enfrentamento da estiagem no estado. Além do presidente do Legislativo gaúcho, deputado Valdeci Oliveira, a bancada petista foi representada pelos deputados estaduais Pepe Vargas e Edegar Pretto.

 

Em audiência com o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, ele assegurou a concessão de cestas básicas às populações rurais atingidas, locação de caminhões pipas às localidades em estado de emergência e ainda recursos para o custeio de combustíveis durante 90 dias. Já na reunião realizada com o Secretário Executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Marcos Montes, a situação foi bem distinta. “Após estas reuniões, tentando buscar alternativas para a estiagem, solicitando ao Governo Federal para que olhe para o Rio Grande, o que a gente está vendo aqui é que tem muita dificuldade e qualquer alternativa apresentada é de médio e longo prazo”, lamentou o presidente da ALRS, deputado Valdeci de Oliveira.

 

 

 

O líder da bancada petista na ALRS, deputado Pepe Vargas, afirma que não existem medidas efetivas voltadas para a agricultura. “A equipe do Ministério reconhece que é necessário recursos para crédito extraordinário, recursos para renegociar dívidas passadas, recurso inclusive para garantir o Plano Safra deste ano que está em curso e foi suspenso, mas pedem que se faça uma articulação com o Congresso Nacional. Uma demonstração de que não é um governo articulado e coordenado”, conta. Para ele, em uma situação como a que o estado do Rio Grande do Sul está enfrentando, o líder maior da nação deveria se reunir com todos os ministérios envolvidos com a pauta e, a partir daí, articular e dimensionar o orçamento em busca de soluções rápidas, mas nada disso acontece.

 

 

Para o deputado Edegar Pretto, essa Missão Oficial, coordenada pela presidência da ALRS a pedido dos movimentos sociais e entidades do campo e da agricultura familiar, é muito importante, porém se esperava mais ação do Governo Federal. “Tivemos uma sinalização da Defesa Civil com cestas básicas, combustível para os caminhões levarem a água quando necessário for, mas a grande decepção foi no Ministério da Agricultura”, disse. Edegar lembrou que a Ministra Tereza Cristina esteve no Estado no dia 12 de janeiro, há mais de um mês, para averiguar in loco a situação.

 

 

 

 

“O governador Eduardo Leite também esteve aqui em Brasília, mas infelizmente o que a gente percebeu foi uma desorganização completa, acabamos a reunião com a representação do Ministério pedindo que a Câmara ajudasse a buscar orçamento para o Plano Safra, para Crédito Emergencial. Até o momento nós não temos nada de concreto e nada organizado”.

 

Decepção

 

Miqueli Schiavon, do Movimento dos Pequenos Agricultores do RS, saiu decepcionado da agenda com o MAPA e afirma que “foi uma vergonha ver que o governo não tem proposta e o pouco que é apresentado não atende às necessidades do povo do campo e nem resolvem o problema”. Gervasio Plucinski, presidente da Uniafes-RS, também lamentou a falta de expectativa para o agricultor gaúcho, pois, “além de não anunciar recurso novo, soluções para as dívidas, ainda retira recursos do Plano Safra que estava em curso”.

 

 

A missão parlamentar vem realizando reuniões de trabalho com o governo federal desde o início desta terça-feira (14) e continuará as atividades no decorrer de toda a quarta-feira (16). 

 

A comitiva, que reúne representantes das mais diferentes legendas partidárias, é formada pelos deputados Valdeci Oliveira (PT), Edegar Pretto (PT), Paparico Bacchi (PL), Adolfo Brito (PP), Patrícia Alba (MDB), Pepe Vargas (PT), Ernani Polo (PP), Fran Somensi (Republicanos), Marcus Vinicius (PP), Tenente Coronel Zucco (PSL), Beto Fantinel (MDB) e Vilmar Lourenço (PSL). Atendendo ao convite feito por Valdeci ao governador Eduardo Leite para que o Executivo estadual integrasse o grupo, o chefe da Casa Civil do governo de Estado, Artur Lemos Júnior, acompanha o grupo. Representantes de entidades ligadas ao meio rural também integram o grupo.

 

(*) Com informações da Agência PT Sul. Texto: Raquel Wunsch, com informações da assessoria de Edegar Pretto e Agência Alergs

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.

 

 

Você pode nos ajudar aqui:

 

 

Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

 

 

BRB

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

 

 

→  PIX:23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

 

 

📷 Instagram

🎞️YouTube

📱Facebook  

💻Site

 

 

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

 

 

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *