Tarifa única de esgoto encarece água dos clientes da Copasa em Minas Gerais

 

Marquinho Lemos é deputado estadual do PT em Minas Gerais, gestor em políticas públicas. Foto: Daniel Protzner/ALMG

 

Brasileiros de todas as regiões do país já estão vivendo no limite com tantos aumentos. Em Minas Gerais, além das altas no preço da gasolina, luz e alimentos, grande parte dos mineiros também terão suas contas de água reajustadas. Isso porque a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) alterou a forma de cobrar a tarifa de água e esgoto no Estado.

A nova fórmula de cobrança dos serviços foi definida pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (Arsae) e pode representar aumento superior a 50% na conta de alguns consumidores que não contam com o serviço de tratamento de esgoto.

A partir da nova fórmula, haverá apenas duas tarifas sobre os serviços de saneamento, para o consumo de água e para o de esgotamento. Antes, as tarifas eram diferenciadas para quem contava apenas com a coleta do esgoto e para aqueles que também tinham o tratamento do resíduo.

Para os usuários residenciais que contam apenas com a coleta dos resíduos, o aumento na conta pode variar de 34,9% a 50,35%. Nas faturas sociais, destinadas à população mais pobre, o aumento para quem não tem o tratamento de esgoto pode chegar a 102,11%, no caso das famílias numerosas, que consomem muita água.

Os estabelecimentos comerciais e industriais que contam apenas com o serviço de coleta também terão suas contas aumentadas em até 55%.

Uma pequena parcela que tem o serviço completo com coleta e tratamento terá suas faturadas reduzidas. Essa alteração da forma de cobrança é incoerente, já que quem pagará mais é justamente quem não tem o serviço completo.

Também é bom lembrar que a população mais pobre é quem será mais prejudicada, já que as regiões periféricas e do interior do estado são as que não contam com o tratamento de esgoto. Além disso, o que temos visto é uma tentativa do governo de Romeu Zema de desvalorizar as empresas estatais para agilizar suas privatizações.

Desde o início do seu mandato, Zema tem tentado a todo custo entregar serviços estratégicos de água e luz à iniciativa privada. Essa alteração na cobrança e, em consequência o aumento das contas, vai atingir em cheio a imagem da Copasa junto à população e garantir mais atrativos para possíveis compradores da companhia.

Desta forma, Zema vai atuando para ampliar a insatisfação da população com o saneamento público e criando terreno para sua entrega ao setor privado. Neste momento tão complicado para o povo, com volta da fome e da inflação, é um absurdo que os mineiros ainda tenham que pagar por tal aumento na conta de água.