Publicidade

Mídia internacional fala em manipulação de Grammy Latino por canção contra Cuba

  • em



Reggaeton de grupo de origem cubana que vive na Flórida é construção de país inexistente

 

 

A mídia internacional publica que Gabriel Abaroa, o ex-presidente emérito e CEO (diretor executivo) do grupo que premia o Grammy Latino de música, teria sido subornado, no valor de um milhão de dólares, para favorecer o tema contrarrevolucionário Patria y Vida como Canção do Ano.

 

De acordo com a informação consultada na investigação que revelou a rede obscura de corrupção, a entrega monetária para Abaroa seria canalizada através de vários offshores localizados nas Ilhas Virgens.

 

Na contrarrevolução cultural cubana, rappers e artistas apoiados pelo governo dos Estados Unidos ganham fama como “catalisadores da agitação de hoje”.

 

O portal mexicano Bendito Coraje informa que “a rede offshore que se destaca na investigação jornalística conhecida como Pandora Papers revela pagamentos da Atlas Network, empresa por trás do financiamento e promoção nas redes sociais da canção Patria y Vida”.

 

Segundo outras publicações e analistas, “canta-se” que os prêmios, com entrega prevista para o dia 18 de novembro, levantarão o tema em questão como parte da politização total de um evento artístico subordinado aos interesses da extrema direita de Miami e o governo dos Estados Unidos.

 

A canção – interpretada por um grupo de reggaeton de origem cubana que vive na península da Flórida, todos sujeitos a uma mudança diametral do discurso político como uma inescapável troca de discursos para poder atuar e ganhar dinheiro ali – é uma construção política que fala sobre uma realidade e um país inexistente.

 

O número musical rompe as essências, engana de forma doentia, manipula as consciências e tenta fragmentar, desestimular, irritar e matar os cubanos, finalidade essencial dos objetivos intervencionistas.

 

Patria y Vida se junta à guerra de quarta geração em curso, um sistema coordenado de operações midiáticas através de múltiplas plataformas, tudo com o objetivo de distorcer a verdade de quanto é (e está acontecendo em) Cuba, uma das linhas de trabalho do inimigo a fim de estabelecer uma base social propensa à realização de seus propósitos de apoderar-se do país.

 

 

(*) Coordenadora do Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba com edição de Eduardo Miranda

 

 


SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

O Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB
Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *