Publicidade

Mídia do Brics deve atender aos interesses das economias emergentes

  • em



A mídia do Brics deve continuar a fortalecer a comunicação direta e a cooperação para aumentar a influência dos países do bloco em todo o mundo e atender melhor aos interesses de seus países-membros, disse Marcos de Oliveira, diretor de Redação do Monitor Mercantil, em entrevista à agência de notícias Xinhua. Nesta sexta-feira, foi realizada o 5º Fórum de Mídia do Brics, online e presencial, em Beijing.

 

A comunicação e a colaboração entre a mídia do Brics tem sido um contribuinte fundamental para permitir que os países estabeleçam influência e expandam a cooperação dentro do grupo, bem como com os países vizinhos, disse Oliveira à Xinhua.

 

O Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) representa um quarto do PIB global, 18% do comércio global e 25% do investimento estrangeiro do mundo. Tornou-se uma plataforma vital para fortalecer a cooperação entre os cinco países e uma força para melhorar a governança global.

 

Para os países-membros do Brics, há um grande campo aberto para uma maior troca de informações, disse o diretor do Monitor. Tendo como pano de fundo o cenário político e econômico global em rápida mudança, cabe à mídia levar informações precisas e adequadas aos leitores, que reflitam a nova realidade que está sendo construída mundialmente com o fim do mundo unipolar, acrescentou.

 

Sobre a Covid-19, ele disse que uma das principais consequências da pandemia é a vulnerabilidade das populações pobres, apelando à comunicação social para que assuma a responsabilidade de mostrar estes fatos e criar espaço para discussões que levem à retoma do desenvolvimento.

 

“O desenvolvimento sustentável é uma prioridade global”, disse ele. “No caso do Brics, a mídia cumpre seu papel ao divulgar informações precisas e reais sobre os países que compõem o Brics sem preconceitos, mostrando o que é feito em cada país e o que pode servir de exemplo para os demais.”

 

Oliveira citou o Monitor Mercantil e a Agência de Notícias Xinhua como um exemplo bem-sucedido de cooperação midiática do Brics, destacando que “um dos frutos dessa parceria é a editoria Cinturão e Rota no site do jornal”.

 

Esse tipo de colaboração permite que os leitores tenham acesso a informações precisas diretamente da fonte, e não da mídia ocidental, como é o caso comum no Brasil, disse o editor-chefe, esperando que “parcerias como essa se desenvolvam entre a mídia do Brics”.

 

 

(*) Por Bian Zhuodan e Wang Tiancong, Xinhua.

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *