Publicidade

Membro da Executiva Nacional do PT, jovem negra é revelação do pleito em São Luís

  • em


Jovem de 28 anos, negra, da periferia, evangélica, bacharel em Direito e oriunda dos movimentos sociais, a candidata a vereadora Cricielle (PT) é a novidade mais promissora das eleições municipais de 2020. Moradora do São Francisco/ Ilhinha, filha de mãe trabalhadora doméstica e pai pedreiro, foi criada junto com oito irmãos. Estudou em escola pública, até chegar ao curso superior em Direito, onde formou-se por meio das políticas sociais de inclusão dos governos do PT.

 

O nome de Cricielle Muniz foi indicado como candidata a vereadora de São Luís pelo Partido dos Trabalhadores (as) por militantes petistas, estudantes, intelectuais, profissionais liberais, sindicalistas, mulheres, negros/as da cultura e o conjunto de movimentos sociais. Crici foi a primeira maranhense a integrar a cúpula nacional do PT, compondo a executiva nacional via eleições diretas do partido, conhecidas como Processo de Eleições Diretas – PED, pela sua história de luta e militância na construção dos projetos da agremiação.

 

“Nossa ideia é formar uma grande corrente que envolva a juventude, as mulheres e a população negra, das periferias e todo o campo de esquerda e progressista, não só para construir o futuro de São Luís a partir dos desafios presentes, transformando a capital em uma cidade mais humana e inclusiva, como também para ajudarmos a barrar este governo, lutando pela da cassação da chapa Bolsonaro/Mourão, e frearmos este modelo ultraliberal em 2020 e 2022, também via eleições”, afirma Cricielle.

 

Legado – O nome de Cricielle surge ainda da necessidade de reafirmação de um projeto de construção coletiva, capaz de defender e representar o legado dos governos do Partido dos Trabalhadores e também a insurgência que fez com que milhões de jovens e mulheres, as populações negras das periferias urbanas e rurais se multipliquem nas ruas e nas redes contra as mazelas do governo Bolsonaro.

 

Estamos diante de um momento histórico de nos contrapormos aos que atacam a democracia, os direitos da classe trabalhadora e os que interromperam o sonho de milhões de pessoas que mudaram suas vidas com casa própria, emprego formal, dos milhões de jovens que entraram nas universidades e no ensino técnico ou tecnológico dos institutos federais e das políticas públicas de educação, assistência social e outras. Em defesa da nossa soberania, do patrimônio, das riquezas, da natureza, dos povos originários e do nosso país. Assim como esses milhões de brasileiros, a vida de Cricielle mudou nos últimos anos por meio das políticas sociais do Partido dos Trabalhadores (as), o que a torna um sujeito das dessas políticas dos governos de Lula e Dilma. Políticas que, além de prover necessidades como educação, moradia e renda mínima, garantiu a superação de ciclos históricos de exclusão.

 

Com experiência nos movimentos sociais, Cricielle foi coordenadora estadual do Serviço Travessia; coordenadora estadual dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável; Chefe de Gabinete na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social; Chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Assuntos Institucionais e ex- Conselheira Municipal de Juventude.

 

“Quero fazer um mandato popular, com parceria da população, da sociedade civil organizada.  O momento histórico que vivemos requer que resgatemos o nosso passado de resistência e luta que nos celebrizou como a Ilha Rebelde. Mudam os protagonistas, é certo, mas o espírito de luta e o desejo de transformação permanecem o mesmo! Entendemos que somente um projeto político inovador, com perspectiva emancipatória e conectado aos tempos atuais é capaz de fazer florescer a transformação que São Luís merece e necessita”, conclui Cricielle.

 

  • Compartilhe