O governador do Maranhão,  Flávio Dino, deu prosseguimento hoje, 19, a sua estratégia de adotar medidas restritivas em conta-gotas, mantendo as normas decretadas a partir do dia 3 deste mês, prorrogando-as até o dia 28 do corrente.

 

 

As restrições estabelecidas hoje desembocam num lockdown envergonhado, que o chefe do Executivo chamou de “parada” e que vai viger em todo o Estado nos dias 27 e 28. Na prática, o lockdown “meia boca” iniciará na sexta-feira, 26, pois o feriado estadual de 28 de julho (Adesão do Maranhão à Independência) será antecipado para aquela data.

 

 

Algumas das medidas divulgadas hoje valem para todo o território do Estado; outras, apenas para a Ilha da capital, que possui quatro municípios (São Luís,  São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa).

 

 

Valem para o conjunto do Estado: prorrogação do regime vigente até 28 de março; antecipação do feriado de 28 de julho para 26 deste mês; suspensão faz atividades não-essenciais nos dias 27 e 28 (sábado e domingo); e suspensão das cirurgias eletivas na rede privada a partir de segunda-feira, 22, até dia 28.

 

 

Para a Ilha de São Luís, as medidas específicas são: bares e restaurantes continuam sem atendimento, a não ser no balcão e entregas; funcionamento das empresas de construção  civil entre os horários das 7  às 16 horas; academias funcionando com 50% de sua capacidade; supermercados com funcionamento de até 50% de sua capacidade e acesso a apenas uma pessoa por família.