Publicidade

Maranhão consegue respiradores após dar segundo drible em Bolsonaro

  • em


O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, concedeu uma liminar ao Estado do Maranhão determinando que uma empresa de Santa Catarina entregue 68 respiradores à Secretaria de Saúde do Maranhão, no prazo de 48 horas. Os aparelhos, essenciais ao tratamento de pacientes graves de covid-19, haviam sido confiscados pelo governo federal, após o Estado haver contratado a compra e ter realizado o empenho da mesma.

 

Este é o segundo drible que o governo do Maranhão dá nas autoridades federais para assegurar a chegada de respiradores ao Estado. Antes, no dia 14, o governo estadual conseguiu fazer chegar a São Luís 107 respiradores comprados diretamente da China e trazidos em avião fretado, que pousou em São Paulo. Dali, outro voo, também em aeronave alugada, trouxe os aparelhos ao Maranhão.

 

Ontem, numa entrevista online, o governador Flávio Dino reclamou da “solidão” do seu governo, que não conta com a solidariedade do governo Bolsonaro, o qual, pelo contrário, tudo tem feito para atrapalhar os esforços maranhenses no combate à covid-19.

 

Os respiradores estão sendo rapidamente colocados em operação. Nos dois últimos dias, a Secretaria de Estado da Saúde alugou dois hospitais privados, o que permitirá a abertura de 150 novos leitos para a covid-19 em São Luís.

 

Ainda ontem, o órgão informou que um hospital de campanha de 100 leitos será instalado na área do Multicenter Sebrae. O interior também tem recebido reforços de novos leitos clínicos e de terapia intensiva, mas o foco das medidas tem sido de reforçar p atendimento na ilha de São Luís, que concentra mais de 91 por cento dos casos confirmados.

 

No boletim epidemiológico divulgado às 21:30 de ontem, os números referentes à covid-19 são os seguintes: casos confirmados -1.604; óbitos -66; municípios com casos confirmados – 42. O Maranhão possui 217 municípios.

  • Compartilhe